Akredito, Biosaneamento, Comuta Arquitetura e Isobloco são destaques do Lab Habitação: Inovação e Moradia

Akredito, Biosaneamento, Comuta Arquitetura e Isobloco são destaques do Lab Habitação: Inovação e Moradia

A terceira edição do Lab Habitação: Inovação e Moradia aponta como destaques Akredito, Biosaneamento, Comuta Arquitetura e Isobloco. Cada um dos negócios de impacto social recebeu um capital-semente de R$ 30 mil e acesso a uma metodologia de desenvolvimento de negócio intensiva e personalizada.

O programa é uma das ações da coalização pela habitação, liderada pela Artemisia e Gerdau, em parceria com Instituto Vedacit, Tigre e Votorantim Cimentos e apoio da CAIXA, do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), da Vivenda, da Habitat para a Humanidade Brasil e do Instituto Iguá.

Negócios de impacto social que atuam com acesso a microcrédito habitacional; saneamento básico; inovação na construção civil; e reformas habitacionais de baixo custo para a população em vulnerabilidade social e econômica são os destaques da terceira edição do Lab Habitação: Inovação e Moradia. As empresas Akredito, Biosaneamento, Comuta Arquitetura e Isobloco receberam um capital-semente de R$ 30 mil cada e acesso a uma metodologia intensiva e personalizada para desenvolvimento dos negócios. A iniciativa faz parte das ações da coalização pela habitação liderada pela Artemisia e Gerdau em parceria com o Instituto Vedacit, Tigre e Votorantim Cimentos e apoio da CAIXA, do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), da Vivenda, da Habitat para a Humanidade Brasil e do Instituto Iguá – que tem como foco apoiar o empreendedorismo de impacto no setor de habitação.

Segundo Maure Pessanha, diretora-executiva da Artemisia, o programa – que já apoiou mais de 80 empreendedores nas três edições – foi idealizado para fortalecer os negócios de impacto por meio de conteúdos práticos, recursos e conexões relevantes para que as iniciativas sejam potencializadas e possam melhorar as condições de moradia de milhares de brasileiros. “Se antes da pandemia o tema já era urgente, hoje é de extrema relevância contribuir para melhorar a vida de um contingente de pessoas que reside em condições inadequadas; temos que atentar para a importância de apoiar empreendedoras e empreendedores que têm desenvolvido soluções inovadoras e acessíveis relacionadas aos desafios de moradia que afligem a população mais vulnerável. Essas iniciativas selecionadas têm grande potencial para impactar positivamente a vida de muitos brasileiros”, afirma.

Para Marcos Faraco, vice-presidente da Gerdau Aços Brasil, Argentina Uruguai, “negócios de impacto social podem oferecer soluções que colaborem com os temas de habitação para a população de baixa renda no país e, com a iniciativa, buscamos empoderar pessoas e empresas interessadas em transformar o cotidiano da população brasileira”.

Luis Fernando Guggenberger, executivo de Inovação e Sustentabilidade da Vedacit, afirma que é fundamental dar subsídios para fortalecer a jornada completa dos empreendedores. “Precisamos garantir que mantenham os negócios de pé, evitando que entrem nas estatísticas de falência e desemprego – potencializadas durante a pandemia –, assim como continuem a promover impacto socioambiental. O momento nos traz uma reflexão muito importante sobre o quanto é necessário olhar para a saúde das habitações. É preciso estar atento à qualidade dos ambientes de convívio para que possamos nos proteger de forma adequada em cenários como o que estamos enfrentando. Nossa atuação conjunta no Lab Habitação, visando o desenvolvimento em longo prazo, é essencial para o progresso do ecossistema de negócios de impacto social, que pode fazer a diferença nas habitações e na qualidade de vida da população de baixa renda”, ressalta.

Para Álvaro Lorenz, diretor de Sustentabilidade e Relações Institucionais da Votorantim Cimentos, o esforço conjunto para impulsionar negócios de impacto social que orbitam o universo da construção civil fortalece a necessidade de termos soluções que enderecem a qualidade de vida de famílias em condições vulneráveis, além de impulsionar negócios locais e promover o emprego de moradores dessas localidades. “Acreditamos no poder transformador desses empreendedores e no valor compartilhado para impactar de forma positiva a vida das pessoas”, salienta. 

Patricia Bobbato, head de Pessoas, Comunicação Interna e Sustentabilidade do Grupo Tigre, acredita que o programa vai além das questões sociais. “O grande impacto na nossa sociedade e o desenvolvimento de novos empreendedores; essa iniciativa, inclusive, contribui para mudar a realidade de milhares de famílias, e possibilita, também, ampliar a visão das empresas frente a esses desafios. Para criar culturas mais diversas e com mais inovação é fundamental ouvir vários stakeholders, por isso, estar próximo e fortalecer esses negócios é uma oportunidade de gerar novas ideias e parcerias que promovam a transformação social das habitações. Todos saem ganhando, principalmente a nossa sociedade que precisa ser mais cuidada e ter mais qualidade de vida”, defende.

Terceira edição

‘A missão do seu negócio é tornar as moradias mais dignas e salubres?’ Com esse mote propositivo, Artemisia e Gerdau realizaram a terceira edição do Lab Habitação: Inovação e Moradiaque contou com a parceria do Instituto Vedacit, Tigre e Votorantim Cimentos, além do apoio da CAIXA, do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), da Vivenda, da Habitat para a Humanidade Brasil e do Instituto Iguá. O programa de aceleração de curta duração selecionou 18 negócios de impacto social para um processo cuja proposta foi fortalecer empreendedores que têm conduzido soluções destinadas a tornar as moradias mais saudáveis, dignas e confortáveis, com potencial de atender milhares de brasileiros.

Em sua terceira edição, o programa trouxe algumas novidades: passou a ser totalmente on-line – formato que permitiu uma maior diversidade regional e respondeu ao contexto da pandemia da Covid-19 –; foi estendido para 12 semanas de duração; as formações foram ministradas ao final da tarde para melhor encaixe nas agendas dos empreendedores; novos conteúdos associados ao momento atual foram acrescentados à metodologia, sobretudo envolvendo os desafios de sobrevivência do negócio; e houve um aumento do valor do capital-semente, que passou a ser de R$ 30 mil para cada um dos negócios que se destacaram ao longo da aceleração. Além do recurso financeiro, os destaques também ganham acesso, por mais três meses após o programa, a uma metodologia intensiva e personalizada com foco no desenvolvimento individual do negócio – um dos grandes diferenciais do ano.

DESTAQUES

AKREDITO | Rio de Janeiro | www.akredito.com.br

Fundado por Pedro e Mariana Boot, o negócio atua com uma solução que limpa o nome da pessoa negativada por meio da negociação das dívidas, ou seja, com uma forma de pagamento adequada ao bolso do cliente. Hoje, a empresa possibilita ao cliente reduzir em 73% o valor da dívida. Desde a fundação, em 2017, a Akredito já atendeu 180 pessoas e negociou R$ 600 mil em dívidas. Queremos deixar um legado positivo e de inclusão financeira às pessoas que estão negativadas e não encontram soluções para resolverem esse problema. Ao ajudar o primeiro cliente, entendemos que estamos colaborando com a liberdade que antes não tinham para atingirem os próprios sonhos. É muito gratificante”, afirmam os empreendedores, acrescentando que o pagamento das dívidas é o primeiro passo para que os clientes possam realizar planos como, por exemplo, a compra da casa própria.

 BIOSANEAMENTO | São Paulo | http://biosaneamento.com.br

Fundado em 2018, Biosaneamento é um negócio que tem o propósito de buscar soluções descentralizadas para endereçar, em escala, o problema de saneamento básico nas áreas nas quais a população sofre com a falta de atendimento. Presidida por Luiz Fazio – que possui mais de vinte anos de experiência no ramo da construção civil –, a organização já implementou diversas soluções com infraestruturas modulares e de fácil execução em qualquer tipo de terreno, além de tratar esgoto sem adição química e gerando gás para cocção. O projeto já beneficiou mais de 500 famílias e 2.000 pessoas diretamente. “Na minha primeira vez dentro de uma favela do Rio de Janeiro, vi crianças da idade dos meus filhos brincando próximas do esgoto. E os números apontam uma realidade ainda mais cruel. Ver de perto deixou claro que precisava fazer algo sobre aquilo”, afirma Fazio, presidente e fundador da organização.

COMUTA ARQUITETURA | São Paulo | http://comuta.com.br/

O negócio de impacto social, liderado por Guilherme Mazon, Mateus da Cunha Laste e Sidney Bruno e fundado em 2018, atua com reformas habitacionais formatadas em pacotes subdivididos por cômodos; a contratação envolve o acompanhamento de todo o projeto. Os empreendedores utilizam o BIM – do inglês, Building Information Modeling, ou seja, modelagem da informação da construção, no qual é possível criar, digitalmente, modelos precisos de uma construção em diferentes fases – e fazem um orçamento adequado ao cliente. O diferencial da Comuta também está presente na forma que os empreendedores veem o papel do pedreiro: como um agente fundamental nas relações com as comunidades, enxergando o potencial desses profissionais como parceiros e canais de comunicação com os clientes. O pedreiro usa o relacionamento na comunidade, por exemplo, para apresentar o Comuta e se beneficia tendo acesso ao crédito e apoio na gestão da obra. “A vontade de trabalhar com arquitetura social nasceu desde que estagiei em uma empresa que desenvolvia trabalhos em Paraisópolis. Desde que conheci a comunidade, não quis sair de lá. Eu desejo que todos tenham suas casas com qualidade de vida; sei que não vou conseguir sozinho, mas farei minha parte com a nossa frente na comunidade”, afirma Mazon.

ISOBLOCO | Alagoas | www.isobloco.com.br

Liderada por Henrique Ramos e fundada em 2017, a empresa atua com um sistema construtivo inteligente, formatado na união do concreto celular com aços longos, em conformidade com as normas técnicas. Como uma construtech de impacto, a empresa inova no setor da construção civil com um sistema construtivo modular, ecoeficiente, sustentável, salubre e econômico. A Isobloco atende desde os grandes mercados de construção civil – como construtoras – à população com vendas em varejo; o negócio tem um olhar especial para a população das classes C e D. Durante mais de 12 anos, o fundador tem atuado inovando na construção civil; após uma viagem para ao exterior, teve contato com construções Net Zero em concreto celular e decidiu desenvolver algo melhor e feito no Brasil. “Comecei com incansáveis pesquisas e entendi que não era só um bloco, mas uma nova solução construtiva para o nosso país. Estamos rompendo com vários paradigmas da construção civil, pensando em soluções para melhorar as moradias novas e as existentes, agregando valor na qualidade, acessibilidade econômica e sendo ambientalmente correta. Nosso modelo de negócio foi desenvolvido para causar um impacto socioambiental positivo e para alcançar um posicionamento de excelência em ESG”, afirma Ramos.

ARTEMISIA | Organização sem fins lucrativos pioneira no fomento de negócios de impacto social no Brasil. A Artemisia apoia negócios voltados à população em situação de vulnerabilidade econômica, que criam soluções para problemas socioambientais e provocam impacto social positivo por meio de sua atividade principal. Sua missão é identificar e potencializar empreendedores (as) e negócios de impacto social que sejam referência na construção de um Brasil mais ético e justo. Já apoiou mais de 500 iniciativas de todo o Brasil em seus diferentes programas, tendo acelerado intensamente mais de 180 negócios de impacto social. Fundada em 2005, a Artemisia possui atuação nacional. www.artemisia.org.br

GERDAU | Com 118 anos de história, a Gerdau é a maior empresa brasileira produtora de aço e uma das principais fornecedoras de aços longos nas Américas e de aços especiais no mundo. No Brasil, também produz aços planos, além de minério de ferro para consumo próprio. Com o propósito de empoderar pessoas que constroem o futuro, a companhia está presente em 10 países e conta com mais de 30 mil colaboradores diretos e indiretos em todas as suas operações. Maior recicladora da América Latina, a Gerdau tem na sucata uma importante matéria-prima: 73% do aço que produz é feito a partir desse material. Todo ano, são 13 milhões de toneladas de sucata que são transformadas em diversos produtos de aço. As ações da Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo (B3), Nova Iorque (NYSE) e Madrid (Latibex). www.gerdau.com

INSTITUTO VEDACIT | O Instituto Vedacit faz a conexão entre os negócios da Vedacit e os investimentos sociais. O intuito é contribuir para a construção de cidades do futuro, incentivando o empoderamento da sociedade, a melhoria na qualidade de vida da população e a integração entre pessoas, moradias e espaços urbanos. Suas linhas de atuação estão divididas em: Cidades Criativas – com projetos culturais que proporcionem maior ocupação e interação com os espaços públicos, estimulando a reflexão e o protagonismo da população na solução dos problemas locais; Cidades Inteligentes – contribuindo na formação de jovens com alternativas de trabalho e empreendedorismo; e Cidades Sustentáveis – com investimentos em negócios sociais e projetos esportivos que promovam a melhoria da qualidade de vida e do bem-estar.

GRUPO TIGRE | Com uma história de quase 80 anos, a Tigre é uma multinacional brasileira com forte presença internacional, líder em soluções para construção civil e cuidado com a água. A empresa oferece um amplo portfólio de produtos que atende os mercados predial, de infraestrutura, de irrigação e industrial. Presente em 40 países, conta com cerca de cinco mil funcionários, 11 plantas no Brasil e 12 no exterior: Argentina (2), Bolívia (2), Chile (2), Colômbia, Equador, Estados Unidos, Paraguai, Peru e Uruguai. Além de tubos e conexões, fazem parte do Grupo: Ferramentas para Pintura, Tigre-ADS (tubulações de PEAD para saneamento e drenagem), Fabrimar e Tigre Metais (no segmento de metais sanitários), AZZO (torneiras ABS) e TAE – Tigre Água e Efluentes (tratamento e reutilização da água).www.tigre.com.br/

VOTORANTIM CIMENTOS | Fundada em 1933, a Votorantim Cimentos é, hoje, uma das maiores empresas internacionais do setor. O portfólio de materiais de construção vai além dos cimentos e inclui concretos, argamassas e agregados. A companhia também atua nas áreas de insumos agrícolas, gestão de resíduos e coprocessamento. São quase 12 mil empregados e uma receita líquida de R$ 13 bilhões em 2019. As unidades da Votorantim Cimentos estão estrategicamente próximas aos mais importantes mercados consumidores em crescimento e presente em dez países, além do Brasil: Argentina, Bolívia, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Luxemburgo, Marrocos, Tunísia, Turquia e Uruguai. Mais informações em www.votorantimcimentos.com.br

Comments are closed