Author Archive admin

OLX: durante pandemia, 19% dizem ter aumentado o interesse em comprar imóvel

Levantamento realizado pela OLX revelou que o mercado imobiliário já mostra sinais de retomada. Para 19% dos respondentes, o interesse em comprar um imóvel aumentou durante a pandemia e, para 41%, o desejo se manteve igual e seguem buscando casa ou apartamento no mesmo ritmo que faziam antes da Covid-19. Entre os locatários, o interesse de encontrar um novo lar aumentou 25%. Outros 35% demonstraram a mesma vontade de achar um imóvel para alugar de antes da pandemia e mantém a procura. Para 48% dos futuros proprietários e inquilinos, não poder visitar o imóvel presencialmente é o principal fator de preocupação. A pesquisa foi realizada entre 2 e 9 de julho com usuários da plataforma.

Trisul apresenta bom desempenho no segundo trimestre

A Construtora Trisul divulgou seus resultados do segundo trimestre de 2020 com números muito positivos mesmo depois de passados quatro meses da quarentena e os stands com restrições de abertura. O Lucro Líquido do 2T20 totalizou R﹩ 35,5 milhões, que representa um crescimento de 31% comparado ao 2T19 e de 15% em relação ao trimestre passado. Sobre a Margem Líquida, a elevação foi de 3 p.p. em relação ao segundo trimestre do ano passado, ou seja, um aumento de 17,8%. As Vendas Brutas totalizaram R﹩ 195 milhões neste 2T20, um aumento de 25% em relação ao primeiro trimestre de 2020. O total de Vendas Líquidas alcançaram R﹩ 174 milhões no segundo trimestre o que representa um aumento de 31% em relação ao 1T20.

Para Jorge Cury, CEO da Construtora os números são favoráveis e mostram o comprometimento da Companhia – “acredito que passamos por um período extremamente delicado e mesmo assim mostramos nossa força. Isso só reforça nossa certeza, que tijolo é ainda moeda forte. E afirmamos isso ao olhar os números desse trimestre. Não podemos comparar com nenhum outro período, nunca vivemos uma realidade como a que se abriu esse semestre para a economia do Brasil e do mundo. Estou convicto que estamos no caminho certo, pensando em produtos com fundamento e buscando ficar bem posicionados em relação ao nosso planejamento. Saímos de nossa zona de conforto e seguimos em busca das tendências ocasionadas pela pandemia”.

Com um landbank estimado em R﹩ 5,1 bi em VGV, referente a 23 terrenos, a Trisul tem hoje um estoque de unidade prontas na casa dos 8%, um dos menores do mercado, e o VSO registrado no trimestre ficou em 19%.

Hoje são 23 canteiros em produção, ou seja, mais de 5 mil novas unidades sendo construídas, em obras na capital e no interior, que vão do econômico ao alto padrão. É bom ressaltar que nesse primeiro semestre a Trisul entregou 8 empreendimentos, mais de 1600 unidades prontas nos primeiros seis meses do ano, um VGV de R﹩ 492 milhões.

Neste segundo trimestre foram entregues o JT 230, Viva Mar Canário e Orbit Vila Olímpia, totalizando um VGV de R﹩ 220 milhões, em 448 unidades. E os lançamentos em VGV ficaram em R﹩ 319 milhões, um aumento de 25% se comparado ao mesmo período do ano passado. Foram lançados o Mirant Vila Madalena, Sonare Alto de Pinheiros e Athos Paraíso, o que representa 158 unidades lançadas.

Tecnisa melhora resultado no 2º trimestre, dá continuidade ao ciclo de geração de caixa, e opciona R$ 957 milhões em novos terrenos

A Tecnisa, uma das maiores construtoras do Brasil, divulgou nesta quarta-feira (12/08) os resultados financeiros referentes ao 2º trimestre de 2020. Com a nova melhora nos resultados do período, o prejuízo de R$ 40 milhões registrado no 2T20 foi consideravelmente menor se comparado com o 1T20 (R$ 58 milhões), e principalmente no comparativo com o 2T19 (R$ 144 milhões). Parte da melhora está associada a melhor estrutura de capital da Companhia. O Resultado Financeiro Líquido no trimestre foi de -R$ 0,2 milhões, 99% melhor em relação ao mesmo período de 2019 e 97% melhor do que o 1º trimestre de 2020. Com a retomada dos lançamentos prevista para ocorrer já no terceiro trimestre, com o empreendimento Auguri Mooca, a companhia confirma tendência de chegada do ponto de inflexão dos resultados.

Outro destaque foi a ampliação da carteira de terrenos (landbank) da construtora. Entre junho e julho, a Tecnisa opcionou a compra de 8 terrenos na cidade de São Paulo, que, juntos, possuem potencial de R$ 957 milhões de VGV, parte Tecnisa, em lançamentos futuros, que devem impulsionar seus resultados futuros.

A Geração de Caixa Total Ajustada somou R$9 milhões no trimestre. Já as Disponibilidades de Caixa e Aplicações Financeiras cresceram 10% no 2T20, para R$ 287 milhões, que se compara a R$ 58 milhões em Dívidas Vincendas nos próximos 12 meses, posição privilegiada para capturar as eventuais oportunidades do período. Adicionalmente, a empresa conta com fontes adicionais de recursos, como alguns estoques de unidades concluídas, recebíveis e terrenos. “Entendendo o contexto da companhia, o desempenho do trimestre foi positivo e traz muito otimismo para os negócios da Tecnisa. Estamos saindo de um período sem lançamentos e de incertezas, para um 2º semestre de retomada, no qual temos alguns lançamentos previstos, incluindo o pré-lançamento Auguri, já com novos conceitos de trabalho, consumo, saúde e segurança do contexto atual”, destaca Joseph Nigri, CEO da Tecnisa.

Glebba anuncia mudanças em seu corpo executivo

Desde sua fundação, a Glebba Investimentos , startup que faz crowdfunding para o setor imobiliário, vem revolucionando o mercado de investimentos ao oferecer uma opção mais rentável e segura para os investidores. Nos últimos 2 anos, a fintech captou cerca de R﹩ 10 milhões, em nove empreendimentos, espalhados por diferentes estados brasileiros, e cresceu mais de 50% ao ano.

Em mais um passo dessa trajetória, a empresa consolida agora mudanças em sua operação. A ex-Coordenadora de Negócios na Alphaville Urbanismo Pamella Kaninski, assume a gestão da startup, junto a Adriano Wagner, a partir de agosto de 2020, tornando-se Head de Investimentos e Novos Negócios.

As mudanças na fintech envolvem também a ida do head de marketing, Adriano Wagner, para o comando da área de tecnologia. Com histórico em empresas como Firjan, SENAI, Curriculum.com.br, entre outros. Adriano terá agora a missão de auxiliar na consolidação de uma infraestrutura tecnológica que garanta segurança e confiabilidade para investidores e empreendedores. “Criamos uma área de Growth, que tem como principal missão tornar o desenvolvimento da nossa plataforma totalmente integrado às necessidades dos usuários, por meio de um processo mais humano, amigável e fácil”, comenta Adriano, head de área de Tecnologia e Marketing.

Com as mudanças, Francisco Perez, até então sócio fundador e Head de investimentos, passa a fazer parte do Conselho da empresa, onde se junta a Maurício Carrer, também fundador da startup.

No último ano, a Glebba concluiu uma rodada de investimento seed, com a Startmeup e Bossa Nova, e expandiu sua atuação para o Centro Oeste. “Nosso objetivo é integrar as áreas para agregar mais valor ao cliente e fazer o time crescer de forma estruturada. Vamos abrir novas vagas nos próximos meses e queremos crescer em número de ofertas também”, comenta Pamella.

Confira quatro dicas importantes para melhorar o atendimento e administração de condomínios

Atualmente, os condomínios são parte importante da vida dos moradores, pois além do ambiente de moradia, esses locais também oferecem diversas distrações de lazer e cuidados que necessitam ser monitorados por pessoas capacitadas que estejam em diálogo constante com os moradores.

Ao fornecer aumento de qualidade de vida em um ambiente só, é preciso, também, produzir organização e praticidade para que todos vivam em harmonia e respeitando o limite de cada um. Guilherme Barbosa, fundador do Grupaly, aplicativo de administração de condomínios, acredita que o contato simples somado a um síndico proativo é o que faz a diferença para estabelecer as regras nesses ambientes.

“Um condomínio hoje em dia precisa ter comodidade aos seus moradores, por isso, uma administração satisfatória necessita de um diálogo conjunto com todos e ferramentas que auxiliem esses profissionais, para então, todos consigam se familiarizar em um ambiente saudável”, afirma Guilherme, que abaixo, cita dicas importantes para a manutenção desse relacionamento.

1. Versatilidade para atender diversas demandas;

Com a administração de condomínios, o síndico necessita de uma compreensão em algumas áreas para ter mais discernimento, desde a administração, recursos humanos, direito e segurança do trabalho. Tudo para que este seja capacitado em cuidar dos moradores e funcionários do condomínio.

2. Organização administrativa;

Os cuidados do síndico com o local em que ele trabalha precisa de cuidados importantes administrativos, pois boa parte das contas do condomínio passará pela atenção deste profissional, assim, podendo interferir na vida de todos os moradores em caso de falta de atenção. Por isso, é primordial que o contato com os condôminos esteja alinhado para que não haja problemas e insatisfação dos moradores.

3. Muita atenção com a manutenção do ambiente;

Os locais que são frequentemente habitados pelos moradores como corredores de acesso, elevadores e áreas de lazer precisam estar sempre em ordem para que não ocorra desagrado dos condôminos e até mesmo acidentes graves. A maioria dos condomínios costumam apresentar manutenções preventivas para cuidar do local, no entanto, é importante reforçar que para zelar pelo espaço faz parte das tarefas dos síndicos que reflete na segurança e cuidado com os moradores.

4. Presença e contato constante com os moradores;

O síndico é o ponto alto da hierarquia dos cuidados de um prédio, por isso, é fundamental que este esteja sempre de olhos e ouvidos abertos para atender os moradores e os auxiliar com as demandas que possam aparecer. Este contato facilitado junto ao atendimento prestativo e profissional irá aumentar a harmonia do ambiente de convivência e o senso de liderança que um administrador necessita.

Proptech apresenta crescimento de 50% em vendas e capta novo aporte de investidor anjo

A meta de ter um cantinho próprio, confortável e seguro sempre esteve em alta e, mesmo com a dúvida gerada pela pandemia, o mercado imobiliário cresceu seis pontos percentuais de março para junho de 2020, segundo a pesquisa da Brain Inteligência Corporativa, em parceria com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). Do mesmo modo, a proptech AoCubo, plataforma imobiliária que conecta corretores e leads qualificados, alcançou, em junho, um crescimento de 50% em unidades vendidas, comparado ao mesmo período do ano anterior.

Um dos motivos que explica a pouca oscilação econômica e até mesmo um crescimento acentuado da proptech é a estrutura digital que o AoCubo construiu pré-pandemia, garantindo um fluxo de atendimento e processo de compra e venda totalmente online.

Os resultados atraíram interesse de Shaun Di Gregorio que já vem trabalhando o modelo transacional similar ao do AoCubo com empresas na Ásia, América Latina e Europa. O investidor possui ampla expertise com proptechs, além de ser CEO da Frontier Digital Ventures, que administra fundos de ventures capital.

“O investimento vem para agregar bastante na parte estratégica do nosso negócio e a captação completa a rodada iniciada pelo cofundador do VivaReal, Brian Requarth e um de seus primeiros investidores, Simon Baker”, ressalta o CEO do AoCubo, Ronnie Sang. Ele complementa que o investidor anjo, Shaun Di Gregorio, também investiu no VivaReal logo após Simon Baker no início da empresa. Agora os dois investidores anjos australianos esperam replicar o mesmo sucesso do VivaReal junto à proptech AoCubo.

Ainda sobre avanço da proptech neste ano, o crescimento das unidades vendidas chegou a 27% em relação ao primeiro semestre do ano passado. A cofundadora e COO do AoCubo, Thais Cancian, conta que o momento ainda é promissor, pois apesar da crise, a expectativa de crescimento do AoCubo até o final de 2020, é de 65% em relação a 2019. O que reflete um aumento abaixo do esperado no começo do ano, mas levando em consideração o momento de crise e redução do PIB, o número segue positivo e carrega otimismo para o mercado no segundo semestre.

Além disso, o AoCubo que abrange um estoque de mais de 40 mil unidades na capital de São Paulo, estima vender uma média de 25 lançamentos confirmados de incorporadoras parceiras até o fim deste ano.

Para Sang Jr., este crescimento prova a tese de trabalho da empresa, reforçando que tecnologia e inovação direcionam o futuro do setor imobiliário. “Aplicação de tecnologias e de inovação como inteligência artificial e a própria digitalização do setor são um caminho sem volta também para o segmento de compra e venda de imóveis, já que o consumidor utiliza meios digitais para resolver grande parte das atividades do dia-a-dia”, sinaliza Ronnie.

Outra vantagem do digital é a facilidade e rapidez com que o usuário consegue visualizar e até mesmo finalizar o processo de compra de um imóvel, aspectos tradicionalmente burocráticos no Brasil. O AoCubo conta, hoje, com uma rede de mais de 10.000 corretores cadastrados que utilizam a plataforma.

Lopes tem novo Diretor Executivo de Digital

O Grupo Lopes anuncia Joaquim Torres como novo Diretor Executivo de Digital da empresa. Com vasta experiência profissional nas áreas Digital e de Tecnologia, Joaquim Torres (Joca), que atuou em empresas como GymPass Wellness, ContaAzul e LocaWeb, será responsável pelo planejamento e desenvolvimento de novos negócios e estratégias digitais da empresa.

Formado em Engenharia da Computação pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica – ITA, e com Certificação Executiva em Estratégia e Inovação pela MIT Sloan School of Management, o novo diretor somará forças ao time agregando valor à Companhia e aos seus clientes.

Warren mira mercado de fundos imobiliários e projeta captação de R﹩ 1 bilhão até 2021

Com o objetivo de se tornar uma das maiores corretoras de fundos imobiliários do país, a Warren anuncia a criação de uma diretoria voltada especificamente a FIIs. Quem comandará a área será Gustavo Kosnitzer, ex-Rossi Residencial e Grupo Cassol, que possui 25 anos de experiência em real estate .

A meta do novo executivo é captar R﹩ 400 milhões até dezembro de 2020 e, no próximo ano, chegar à marca de R﹩ 1 bilhão. “No cenário atual, de taxa de juros baixa, os fundos imobiliários são a nova renda fixa do mercado.”, afirma o diretor. Durante seus anos de atuação no setor imobiliário, trabalhou a estruturação, desenvolvimento e gestão de mais de R﹩ 3,5 bilhões de ativos.

Segundo Tito Gusmão, CEO da Warren, a contratação de Kosnitzer demonstra que a Warren tem grandes ambições com a classe de ativos. “O Gustavo é uma referência no mercado. Conhece os detalhes deste ramo como poucos. Contar com a colaboração de Kosnitzer é um grande passo para a Warren”, diz.

Os fundos imobiliários são fundos de investimento destinados à aplicação no setor imobiliário. “São a melhor alternativa para se investir em imóveis, com a possibilidade de se escolher em ativos ‘de tijolo’, ou seja, participações em shoppings, edifícios e galpões, ou ‘de papel’, similar aos demais fundos de renda fixa, que mas que são compostos por ativos com lastro imobiliário como CRI, CRA, LCI e LCA”, explica Kosnitzer.

A corretora acredita que, dada a simplicidade e a baixa burocracia, já que o investidor não tem preocupações administrativas dos imóveis, além da possibilidade de se obter uma boa rentabilidade aliada ao baixo risco, os fundos imobiliários tendem a contar com uma grande procura entre o segundo semestre deste ano e 2021. “O investidor também conta com isenção de Imposto de Renda ao receber o aluguel e só paga imposto caso venha a vender suas cotas”, conta o executivo.

De acordo com Kosnitzer, os planos da Warren são ambiciosos para o setor. “Demonstraremos aos investidores que os fundos imobiliários são uma maneira segura e descomplicada de se investir no setor, sem se preocupar com toda a burocracia existente no mercado imobiliário tradicional”. A seleção dos ativos é realizada por uma equipe que conhece profundamente o setor imobiliário, e isso oferece confiança aos investidores. “Estamos muito animados com a perspectiva de poder oferecer aos clientes Warren as melhores alternativas de investimentos no mercado imobiliário e assim nos tornarmos uma das líderes deste setor”, conclui.

A Warren foi fundada em Porto Alegre, em 2017, e conta com um modelo de remuneração totalmente alinhado com o cliente, atuando como corretora, gestora e administradora. A empresa é remunerada de acordo com o crescimento total do patrimônio – assim como nos Estados Unidos e na Europa. Desta forma, se posiciona como uma terceira via na atual divisão de mercado no Brasil.

São mais de 140 mil clientes em pouco mais de três anos de operação e mais de R﹩ 2 bilhões em ativos sob gestão. A corretora planeja multiplicar esse patrimônio por cinco até o fim de 2021, chegando à marca de R﹩ 10 bilhões. Hoje a plataforma oferece 400 produtos, incluindo sete fundos próprios com taxa zero, o que garante diversificação, rentabilidade, segurança e transparência aos investimentos.

Grupo de construtoras cria ferramenta para venda de produtos e serviços de famílias com renda comprometida durante a pandemia

Devido à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) e paralisação de diversos comércios nas cidades pelo país, alguns comerciantes foram obrigados a encerrarem as atividades por um período indefinido e outros tiveram que reinventar os seus negócios. Pensando neste cenário ainda incerto economicamente, o grupo composto pelas empresas Bild Desenvolvimento Imobiliário Vitta Residencial Construtora e Incorporadora desenvolveu uma ferramenta colaborativa para venda de produtos e serviços: o site Negócio ao Lado. Trata-se de uma plataforma de vendas voltada para os profissionais autônomos e proprietários de negócios.

O site foi criado para atender às necessidades de moradores dos empreendimentos entregues pelas duas construtoras, que podem divulgar seus produtos e serviços de forma segura e gratuita e contempla residentes das cidades de Ribeirão Preto, Araraquara, Bauru, Franca, Jaboticabal, Piracicaba, São José do Rio Preto, Serrana, Sertãozinho e Uberlândia (MG).

Para o desenvolvimento e adequação do projeto, uma pesquisa prévia com os clientes foi desenvolvida e identificou quais foram os impactos da crise nos seus negócios locais e quantos destes eram profissionais liberais, empresários ou autônomos. “Identificamos que muitos destes clientes autônomos estavam com suas receitas comprometidas, podendo passar por alguma dificuldade financeira”, explica o coordenador de marketing, Fábio Gama. Segundo ele, a proposta do novo serviço é colaborar com a recuperação da receita dos clientes e fornecedores que são empresários e autônomos.

“Posteriormente, o projeto será disponibilizado também para nossos colaboradores e fornecedores que queiram ter uma renda extra para ajudar em seu lares”, complementa Gama. Por enquanto, apenas clientes das duas construtoras podem divulgar seus produtos na plataforma online. “Desenvolvemos esse projeto não somente para o período da quarentena que decretou isolamentos e distanciamento social, mas sim como um serviço a mais que podemos oferecer ao nosso público no pós pandemia”, avalia Fábio Gama.

Como funciona

A plataforma é totalmente gratuita. Para anunciar, basta se cadastrar e anunciar o produto, loja ou serviço. Da mesma forma, também não é cobrado nenhum percentual ou comissão pelas vendas que forem feitas através do site. Definida a compra, o interessado entra em contato com o vendedor, combina o preço, a forma de pagamento e entrega. Para acessar e realizar compras no site Negócio ao Lado, basta entrar no link https://negocioaolado.com.br/.

O coordenador de marketing, Fábio Gama explica que colaborar com o ecossistema em que as duas empresas estão inseridas faz parte dos valores do grupo. “O cenário atual nos mostrou a realidade de um impacto financeiro e até psicológico em diversas famílias. Por isso, assumimos mais uma vez nosso compromisso em estar ao lado de nossos clientes e de seus familiares, visando ajudar de alguma forma na recuperação da receita mensal destes profissionais liberais, empresários, autônomos e até os que buscam uma renda extra. É nosso papel como empresa valorizar o empresariado local”, conclui.

Bossa Nova Sotheby’s registra crescimento de 50% em vendas nos meses de junho e julho

Casa em Terras de São José, Itu, à venda pela Bossa Nova Sotheby’s

A Bossa Nova Sotheby’s International Realty, principal imobiliária de alto padrão, registrou crescimento de 50% em vendas nos meses de junho e julho em relação ao mesmo período do ano passado. Apesar da pandemia, a empresa tem visto a retomada do mercado trazer não só a demanda reprimida dos últimos meses, como a procura crescente por imóveis de praia e campo.

A imobiliária iniciou 2020 com 35% mais vendas no primeiro trimestre. Em abril e maio, mesmo nos meses mais críticos para a empresa, a queda foi de apenas 18%. Em junho e julho, a BNSIR viu a rápida retomada do mercado, quando ultrapassou o VGV de 2019 em 50% e 53%, respectivamente. No consolidado, os sete meses registram uma alta de 28%.

Para Marcello Romero, CEO da Bossa Nova Sotheby’s International Realty, foi um ano atípico: “tivemos o melhor mês de julho de toda a nossa história este ano. Geralmente, essa é uma época em que as pessoas estão de férias, viajando, muitas vezes fora do país. E deixam para fechar contrato em agosto, quando retornam”.

Um fator que alavancou as vendas foram as mudanças comportamentais que o isolamento social provocou nas pessoas em relação ao lugar onde vivem. Muitos de seus clientes buscaram casas de campo ou residências mais espaçosas, conectadas à natureza e com boa estrutura para home office nas grandes cidades.

“Apesar da crise econômica causada pela pandemia, a abundância de crédito e as baixas taxas de juros e financiamento conseguiram impulsionar o mercado. Para quem já possuía capital ou não foi tão afetado pelas instabilidades econômicas, foi um momento propício para o investimento em imóveis”, declara Romero.

No último ano, a BNSIR obteve mais de R﹩ 700 milhões em VGV, 25% a mais que em 2018. Para 2020, a meta era 1,1 bilhão. Devido à pandemia, as expectativas mudaram. Ainda assim, a empresa deve ultrapassar os números de 2019, com a previsão de um VGV entre R﹩750 e R﹩800 milhões. Desde 2015, a Bossa Nova Sotheby’s cresceu sete vezes.