Líder em alto padrão, Axis 21 parte para construção de casas em Curitiba

Líder em alto padrão, Axis 21 parte para construção de casas em Curitiba

Referência no mercado imobiliário em Curitiba, a Axis 21 Imóveis inicia os planos de construção de casas em condomínios. A empresa aproveita o aquecimento do setor, que teve alta procura dos clientes por residências mais amplas e com mais conforto durante a pandemia da Covid-19.

Já foram adquiridos terrenos em bairros nobres como Santa Felicidade e Campo Comprido, na capital paranaense, para os primeiros projetos. A ideia é atender, na medida exata, as necessidades de quem quer uma moradia confortável e funcional para o chamado “novo normal” das grandes cidades. 


Os diretores da empresa apostam em um movimento cada vez maior de compra desses imóveis nos próximos anos. “O mercado está muito aquecido, com alta demanda e a faixa de alto padrão é de grande domínio da Axis 21. Vamos usar a expertise da imobiliária para atender o alto nível de exigência do consumidor curitibano”, explica Milton Ribeiro. 


Izabel Martins Campos explica o interesse cada vez maior dos clientes na procura por residências em condomínios fechados. “As famílias passam mais tempo em casa, trabalhando, estudando. A maioria das pessoas percebeu a falta de quartos a mais, um escritório, uma área aberta privativa para tomar um sol, por exemplo”. 

Tags, , , , ,

Sienge lança a edição de 2022 do Construsummit

O Sienge, plataforma especialista líder em gestão para a indústria da construção, e o CV — Construtor de Vendas, CRM de gestão de imóveis, acabam de lançar a edição 2022 do Construsummit, evento voltado para discutir e promover as temáticas de Gestão e Tecnologia que integram toda a cadeia da Construção Civil. Serão dois dias de palestras, 14 e 15 de setembro, e as inscrições já podem ser feitas pelo site oficial.

A edição Construsummit 2022 vai direto ao ponto das demandas históricas e atuais da construção, deixando claro que o sucesso dos negócios de incorporadoras e construtoras em um mundo cada vez mais diverso, complexo e instável passa pela integração da cadeia da construção. O evento abordará a necessidade das empresas do setor de construção civil de se integrar e acompanhar a transformação digital, por meio da coleta, organização e cruzamento de dados.

Segundo relatório da IDC, 72% das empresas da indústria da construção no mundo acreditam que a transformação digital é prioridade, porém 58% das empresas estão recém engatinhando para tornar seus processos digitais, enquanto 28% estariam no meio do processo de transformação. Apenas 13% podem ser consideradas maduras em relação à adoção de novas tecnologias.

“O setor da construção civil está passando por uma adaptação da revolução digital, começando pela digitalização de processos de gestão, e extraindo inteligência dos enormes volumes de dados gerados na operação de um canteiro. O Construsummit mostra a aplicação prática disso desde o dia a dia da operação até a camada mais estratégica de decisão”, explica Guilherme Quandt, Diretor de Estratégia e Mercado do Sienge.

Presença do setor no evento

Para garantir um debate de alto nível e oportunidade de desenvolver o ecossistema de negócios da construção, estarão presentes 50 palestrantes do setor, como Alexandre Frankel (CEO & Founder na HOUSi Chairman & Founder na VITACON); Felipe Cardosos dos Reis (Innovation and R&D Manager, Corporate Development na MRV&CO); Ricardo Mateus (Fundador da Brasil ao Cubo); e Glaucia Guarcello (Innovation & Ventures Lead Partner na Deloitte).

“O Sienge, como uma plataforma de gestão, quer promover a busca de se alcançar níveis realmente industriais de eficiência e produtividade, e temos como desafio para o Construsummit mostrar como as empresas podem sair do patamar atual da construção, que já entende a importância da tecnologia e da inovação, para chegar a um ambiente de completa integração, com um arranjo tecnológico e baseado em informação”, ressalta o executivo.

O Construsummit 2022 será híbrido, com transmissão nacional e presencial, na sede da Softplan/Sienge, Florianópolis (SC). O público-alvo é formado por executivos de incorporadoras e construtoras, especialmente aqueles ligados às áreas comercial, financeira, de tecnologia e inovação e operações de obra, além da imprensa e entidades do setor.

“O Sienge e Construtor de Vendas são marcas catalisadoras da transformação digital do setor e da integração ao longo de toda a cadeia produtiva e o Construsummit se posiciona como a porta de entrada para o futuro da gestão para a indústria da construção”, finaliza Quandt.

Construsummit 2022

Datas: 14 e 15 de setembro de 2022

Horário: das 9h às 17hs

Local: online e presencial — Sede da Softplan/Sienge

Endereço: Sapiens Parque – Av. Luiz Boiteux Piazza, 1302 – lote 87/89, Florianópolis – SC

Ingressos: a partir de R$ 259,99

Inscrições e informações: https://www.sienge.com.br/

Empreendimento comercial homenageia fundador de uma das maiores construtoras do Brasil

“Atsushi Yoshii Tower” transforma o cenário da Gleba Palhano, região que se desenvolveu com investimentos do Grupo A.Yoshii

São mais de 30 edifícios que levam a marca A.Yoshii na região da Gleba Palhano, na zona sul de Londrina (PR). O endereço, que se transformou no mais valorizado da cidade, começou seu processo de verticalização a partir dos anos 1990. 

Um dos principais propulsores da região, com grandes investimentos em projetos residenciais e comerciais, é o Grupo A.Yoshii, referência nacional em construção civil há 57 anos. Uma história que começou pelas mãos do engenheiro Atsushi Yoshii, que por todo o legado empresarial e contribuição para o desenvolvimento de Londrina e região, é homenageado em um empreendimento comercial em um dos endereços mais nobres da Gleba Palhano. 

A imponente torre linear, paralela à Avenida Madre Leônia Milito, será inaugurada ainda em maio, com 100% das salas comerciais vendidas. O Atsushi Yoshii Tower vem atender à crescente demanda em serviços corporativos e de saúde na região Norte do Paraná. 

“É uma honra fazer parte da história desta cidade e poder colaborar para o desenvolvimento da Gleba Palhano, que nos últimos anos vem se mostrando como um grande espaço urbano, onde a paisagem, as pessoas e os negócios se encontram e movimentam toda a cidade. É com grande satisfação que levo meu nome para este projeto muito especial”, afirma Atsushi Yoshii.   

O projeto assinado pela Spagnuolo Arquitetura possui 26 pavimentos, sendo cinco deles de garagem, com 477 vagas de estacionamento. A planta modulada com opções de 38 a 500 metros quadrados privativos traz flexibilidade de dimensões e usos para os espaços exclusivos. 

“O projeto buscou explorar todo o potencial do endereço, aproveitando a face sul para trazer luz natural aos ambientes sem os efeitos da insolação direta. Essa direção também proporciona bons visuais a partir de seu interior, o que possibilitou a utilização de painéis envidraçados que ajudaram a compor suas fachadas”, explica José Carlos Spagnuolo.

A torre conta com catracas de segurança, circuito de monitoramento por câmeras, sete elevadores, duas salas de reunião, auditório e mall de lojas no térreo. O edifício possui cisternas para acumulação de águas pluviais com uso na manutenção e tem um sistema construtivo que permite menores perdas e pouco impacto ao meio ambiente. 

Também como forma de homenagear o engenheiro, o edifício terá uma escultura do artista plástico José Munhoz. “O Atsushi Yoshii Tower celebra a reputação, a visão empreendedora e a forte influência desse, que é um líder na construção civil de Londrina. A Gleba Palhano mudou o eixo empresarial de Londrina e estamos conectados com o desejo do mercado por novos ambientes corporativos, com projeto moderno e localização estratégica”, destaca o presidente do Grupo, Leonardo Yoshii.

Juntos Somos Mais está com 90 vagas abertas

A Juntos Somos Mais, criadora do maior ecossistema do varejo de construção civil, está com 90 vagas abertas na estrutura da startup, sendo, em sua maioria, na área de tecnologia. As posições de tecnologia são remotas e variam principalmente entre pessoas desenvolvedoras de back-end, com foco nas linguagens .NET Core e Python, user experience researchers e engenheiros de dados. Além disso, a empresa tem vagas híbridas nas áreas de operações, comercial e data analytics, além de vagas para desenvolvedor em habitissimo e Triider, plataformas que pertencem à startup. Os interessados podem se candidatar via LinkedIn da Juntos Somos Mais.
 

A alta demanda por tecnologia e inovação nas empresas é um dos motivos para o crescimento do setor no Brasil. A projeção da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) é de que sejam gerados quase 800 mil novos empregos no segmento até 2025. A Brasscom ainda calcula que a expansão do mercado injeta na economia brasileira R$ 845 bilhões em tecnologias de transformação digital nos próximos dois anos.

“As novas oportunidades nos permitem captar profissionais integrados com os valores da Juntos Somos Mais e que estejam conectados na missão de transformar o varejo de construção civil. Seguimos comprometidos continuamente com a carreira desses novos talentos e contentes em saber que temos bastante espaço para receber diversos novos perfis”, comenta Bruna Segatto, Head de People na empresa.

SYN Prop e Tech planeja investir R$110 milhões em expansão de três shoppings de seu portfólio

O aporte será destinado a melhorias na estrutura dos shoppings Grand Plaza, Cidade São Paulo e Tietê Plaza

A SYN Prop e Tech, empresa reconhecida por portfólio de forte atuação nos segmentos Corporativo e de Shopping Centers, planeja investir R$110 milhões na expansão de três de seus seis shoppings, são eles o Grand Plaza, Cidade São Paulo e Tietê Plaza. A empresa, que registrou uma receita bruta recorrente de R$386,8 milhões ao longo de 2021, tem o objetivo de ampliar as áreas gastronômicas e de entretenimento em seus empreendimentos, promovendo uma experiência completa ao consumidor.

A companhia também faz toda a gestão dos shoppings Metropolitano Barra (Rio de Janeiro), Shopping Cerrado (Goiânia) e Shopping D (São Paulo). Com projeção de vendas de R$2,9 bilhões para 2022 em todos os seis shoppings de seu portfólio, a SYN tem aumentado seu investimento em espaços gastronômicos e de entretenimento, segmentos que representavam cerca de 23% da área locável dos shoppings da Companhia em 2021. “Queremos oferecer living experience para o nosso público, cooperando para que os shoppings sejam vistos muito mais do que somente um local para compras”, explica o CEO da SYN Prop e Tech, Thiago Muramatsu.

As vendas nos shoppings da SYN foram de R$840 milhões no quarto trimestre de 2021, ficando 35% acima do nível de vendas apontado no mesmo trimestre do ano anterior. Atualmente, a companhia registra aproximadamente R$1 bilhão em market cap e está empenhada em atender aos requisitos para compor a carteira do ISE (Índice de Sustentabilidade) da B3 em até três anos. “Temos também uma forte atuação na gestão de edifícios corporativos. A SYN administra 11 empreendimentos corporativos e pretendemos aumentar significativamente este número”, finaliza Muramatsu.

Condo.news Summit promoverá pitch de startups especializadas no setor condominial

Será realizado, no próximo dia 20 de maio, de 9h às 19h, a primeira Condo.News Summit. O evento, exclusivo para o mercado condominial, ocorrerá na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, um bairro com grande presença de condomínios residenciais e comerciais.

Com o objetivo de apresentar ferramentas disponíveis para atender síndicos do futuro, administradoras de condomínios inovadoras e condôminos mais exigentes, a Condo.News Summit contará com a CondoStartups, uma área exclusiva para as condotechs, startups com soluções voltadas para o mercado condominial, onde, além de apresentar seus serviços para síndicos, farão um picth para a Booming, um hub de investimentos. A que tiver o melhor desempenho ganhará uma sessão de mentoria.

“Fico animado com o evento, por ser a primeira edição e ter um público bem específico e de alta competência. Eventos assim costumam surpreender positivamente. Trazer inovação para esse mercado é fundamental, uma vez que surgiram muitas startups relacionadas nos últimos anos. Será uma troca muito rica juntar os principais atores em um só lugar! Tenho boas expectativas quanto às startups que estarão presentes, principalmente as que serão avaliadas pela banca. Esse é um mercado extremamente aquecido e com grande potencial de negócios inovadores, como já temos visto por aí. Quem acompanha os relatórios anuais sabe que este evento pode de reunir os próximos unicórnios brasileiros. Espero sair com a vontade de investir em todas!”, destacou João Braga, CEO do hub de investimentos Booming.

Entre as condotechs confirmadas estão a Condobem, Condomínio App, Minha Coleta, Material Agora, DarwinX e Antecipe.Já. Startups de outros estados podem participar de forma remota e para mais informações podem enviar e-mail para: contato@condo.news 

Yuca, plataforma de locação, lança novas unidades de apartamentos para o projeto HIS

No mês de maio, a Yuca , plataforma de locação de apartamentos com serviços integrados, anexou em seu portfólio mais 100 novas unidades de apartamentos na região da Chácara Santo Antônio, na zona Leste de São Paulo. Em parceria com a Plano & Plano estes novos imóveis se somam às unidades da Vila Tolstoi, na Zona Leste de São Paulo, compondo as 140 moradias da proptech na frente de HIS (Habitações de Interesse Social).

Com essas novas unidades, a Yuca busca oferecer habitações que estejam de acordo com a realidade econômica dos moradores. Como meta, a empresa visa compor pelo menos 30% do seu portfólio, com esse tipo de unidade. O pacote de aluguel já inclui as despesas fixas como água, luz, internet e condomínio.

Com esses benefícios, o modelo de HIS oferecido pela Yuca, é reconhecido pelo seu processo facilitado de locação, com mais flexibilização e menos burocracia. A reserva das unidades pode ser feita via site, com liberação para a mudança de, em média, cinco dias.
 

“Apenas cerca de 0,15% das startups brasileiras no segmento de moradia desenvolvem algum tipo de iniciativa direcionada para o HIS. Entregar essas primeiras 140 unidades de HIS para a população de São Paulo é uma forma da Yuca levar mais oportunidades e ajudar a mitigar as limitações impostas pelas cidades, garantindo o bem-estar de pessoas que não estão nas regiões centrais”, afirma Rafael Steinbruch, Head de Real Estate e co-fundador da Yuca.

Gafisa registra crescimento de 81% nas vendas líquidas do 1º trimestre de 2022

 A Gafisa, uma das principais incorporadoras e construtoras do Brasil, anuncia os resultados financeiros do 1º trimestre de 2022. A incorporadora registrou crescimento de 81% nas vendas líquidas em comparação com o mesmo período de 2021 e manteve o lucro líquido pelo sexto trimestre consecutivo.

O EBITDA ajustado totalizou R$59,9 milhões, superando em 212% o mesmo período do ano anterior. Foram concluídas ainda as obras de cinco empreendimentos em São Paulo, com 798 unidades e VGV equivalente a mais de R$437 milhões. “A forte performance comercial do primeiro trimestre, com 81% das vendas líquidas direcionadas ao segmento de médio alto e alto padrão, é reflexo da nossa estratégia focada no segmento de alto luxo”, explicou Guilherme Benevides, CEO da Gafisa Incorporadora e Construtora São Paulo.

No trimestre, a companhia lançou o empreendimento We Sorocaba, localizado no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro,com VGV de R$ 54,9 milhões. Nos últimos 12 meses a Gafisa lançou nove empreendimentos, sendo seis em São Paulo e três no Rio de Janeiro, somando R$1,74 bilhão em VGV bruto.

Foram três empreendimentos pré lançados em São Paulo, com estandes operando e campanhas publicitárias em vigor. São eles, Stratos Bandeira Paulista, no Itaim Bibi, Envolve Vila Mariana e Hotel Go Inn República, que representam R$436,4 milhões de VGV entre lançados e pré lançados no trimestre.

A Gafisa Capital, unidade de investimentos imobiliários da Gafisa, captou ainda R$80 milhões em uma segunda transação com a Kinea Investimentos. Os recursos serão aplicados para a construção de um empreendimento de alto luxo, no Itaim Bibi, na capital paulista.

A unidade de negócios já captou R$400 milhões em sete meses de operação em transações com o mercado que alavancaram o crescimento da companhia somando mais de R$1,7 bilhão em VGV.

A performance operacional é reflexo do processo de retomada de crescimento da companhia, iniciado pela nova gestão em 2019. “Os planos são claros. Queremos nos posicionar como a principal empresa do mercado imobiliário de alto luxo, concretizando os projetos mais icônicos e sofisticados do país”, conclui Nelson Tanure, membro do Conselho de Administração.

Com esse resultado, a Gafisa já tem 80% do seu estoque em empreendimentos de médio alto e alto padrão, sendo que 97% dos produtos estão concentrados em São Paulo e Rio de Janeiro.

Fundo Imobiliário que investe em imóveis com pendências oferece desempenho significativo a cotistas em vendas de suas propriedades

Com o objetivo de proporcionar aos cotistas a valorização e a rentabilidade por meio de transações envolvendo ativos imobiliários estressados provenientes de esteiras judiciais e retomados por bancos – uma classe de ativos tradicionalmente inacessível, opaca e ilíquida, o fundo de investimento imobiliário (B3: ROOF11), atuante nesse mercado adquire propriedades por um valor descontado e, após regularizada a situação, os imóveis são vendidos por um valor maior, mas ainda abaixo do valor de avaliação de mercado.
 

Os ativos são diversos e podem ser frações ideais ou imóveis urbanos em sua integralidade, como casas e apartamentos residenciais, terrenos e lotes localizados no Estado de São Paulo. A proptech ROOFTOP, consultoria imobiliária especializada do ROOF11 pré-seleciona os imóveis para aquisição do fundo, mas é preciso que se enquadrem em alguns critérios, como:

  • Propriedade ou posse esteja sob discussão administrativa ou judicial;
  • Cujos proprietários tenham problemas de crédito ou liquidez, sejam réus em ações judiciais;
  • Cujos proprietários tenham processos administrativos de qualquer natureza, inclusive fiscais e trabalhistas;
  • Imóveis que estejam em processo de recuperação judicial, falência, liquidação judicial ou extrajudicial, insolvência civil, intervenção ou outros similares;
  • Imóveis que estejam sujeitos a ônus reais ou outros gravames contratuais, legais, judiciais ou administrativos, inclusive penhoras, arrestos, arrolamentos ou indisponibilidade;
  • Imóveis que sejam adquiridos em leilões ou vendas judiciais, ou em processos de execução judicial ou extrajudicial, recuperação judicial ou falência;
  • Ativos imobiliários que de outra forma estejam sujeitos a dúvidas ou dívidas que prejudiquem sua liquidez ou avaliação;
  • Imóveis que possuam pendências documentais ou de registro de qualquer natureza;
  • Ativos originados de carteiras imobiliárias de instituições financeiras (bancos) e que tenham alguma das características mencionadas nos itens acima.

A ROOFTOP anunciou hoje o relatório de performance de vendas iniciais de parte dos imóveis do portfólio do fundo. Com essas vendas, a ROOFTOP retornou 48% em capital aos investidores do fundo ROOF11 até o momento. As vendas em conjunto, apresentaram uma TIR líquida superior a 33%, representando um desempenho significativo em relação à subscrição e ao mercado.

“O veículo desempenha um papel importante para a sociedade, que por um lado provê liquidez de capital para credores em disputas judiciais, colocando fim às essas disputas, e por outro lado revitaliza e restaura os ativos imobiliários adquiridos que antes se encontravam com pendências jurídicas, financeiras e castigados por falta de zelo e manutenção. Assim, uma vez regularizados, os imóveis são ofertados ao mercado a preços atrativos já livres de suas pendências passadas, resultando em ganho de capital aos financiadores da nossa operação cursada por nossos fundos imobiliários”, afirma Daniel Gava, CEO da ROOFTOP.

Pesquisa: mais de 30 mil pessoas buscam mensalmente serviços de construção e reparos

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de trabalhadores autônomos no segundo trimestre de 2021 chegou a 24,8 milhões no país. E não é só o número de novos empreendedores que cresceu: a procura e demanda por serviços de construção também tem aumentado significativamente.

guiafacil.com, plataforma de buscas por negócios locais, divulgou que o número de pesquisas no segmento de materiais de construção é o de maior relevância entre os 6 milhões de acessos mensais na plataforma. A palavra-chave “materiais de construção” foi buscada mais de 30 mil vezes no site da empresa, seguida por prestadores de serviços, com 15 mil buscas, e eletricistas, com 12 mil. 

José Felipe, coordenador de Marketing, do Guia Fácil dá algumas dicas para quem atua nesse segmento. “Ter o seu nome e contato disponíveis em plataformas de divulgação, facilita muito que os contratantes consigam localizar os serviços. A internet é o maior cartão de visita. Por isso, contar com serviços que ofereçam soluções digitais é uma ótima opção”, conclui. 

Demandas de ajustes nas residências aumentaram durante a pandemia. Segundo dados divulgados pelo setor imobiliário, 16% das pessoas resolveram se mudar de suas casas ou apartamentos, enquanto outros 11% decidiram investir em reformas no lar. Segundo o porta voz do Guia Fácil, esses números mostram que, com a alta demanda, estar online é fundamental para se destacar e garantir boa rentabilidade. “Cada vez mais, migrar a relação com o cliente para o digital é viável para qualquer setor, incluindo o de construção. É algo que se torna simples e fundamental” conclui José Felipe.

Com mais de 25 anos de atuação, a empresa oferece soluções em comunicação para os mais variados segmentos. São sites de busca e produtos segmentados preparados para facilitar ao máximo a aproximação entre clientes e anunciantes. Sua principal plataforma, o guiafacil.com, possui mais de 6 milhões de acessos mensais e se posiciona como um dos principais portais de busca por negócios locais do país. Além dos produtos próprios, comercializa campanhas de Links Patrocinados. É uma das poucas empresas no Brasil com o selo Google Partner e foi premiada  internacionalmente pelo Google, com o título de Melhor Qualidade de Contas de Google Ads por duas vezes.

Preço do aluguel em São Paulo sobe 3,5% em 2022, segundo Imovelweb

De acordo com o relatório mensal de preços do Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País, em 2022 o valor do aluguel em São Paulo acumulou uma alta de 3,5% – índice abaixo da inflação e muito abaixo do ajuste do Índice Geral de Preços do Mercado – IGP-M. O levantamento é baseado nas buscas realizadas pelos usuários no site durante o mês de abril.

O índice também apontou que o valor mensal do aluguel na capital paulista está R$ 3.374 para os apartamentos de 65 m² com dois quartos, subindo 1,6% em relação ao mês anterior.

Itaim Bibi é o bairro com maior preço médio de aluguel, custando R$ 4.891 por mês. Cidade Tiradentes ficou como o local mais econômico (R$ 962 mensais).

Veja os valores de aluguel nos demais bairros de São Paulo:

Mais baratos (R$)Variação MensalVariação Anual
CIDADE TIRADENTES962-0,8%-11,9%
LAJEADO1.3683,3%2,3%
BRASILÂNDIA1.467-2,5%-10,6%
Mais caros (R$)Variação MensalVariação Anual
PINHEIROS4.2281,9%-2,0%
MOEMA4.2452,1%0,3%
ITAIM BIBI4.8192,4%-1,9%

Imóveis à venda: preços em alta abaixo da inflação

Segundo o relatório, o preço médio em São Paulo para as propriedades à venda, fechou o mês de abril em R$ 9.690 por m², 0,1% acima do mês anterior. Em 2022, os valores acumularam uma alta de 1,3% – índice abaixo da inflação e do incremento da BOVESPA. Já para as novas unidades, o aumento foi de 3,2% neste ano.

Zona Oeste é a região mais cara da cidade, custando R$ 11.641 por m². Já a Zona Leste é mais barata, com um preço de R$ 5.262. A Zona Sul registrou o maior incremento interanual (+5,1%).

Valores dos imóveis à venda nas regiões de São Paulo:

RegiãoValor do m²Variação MensalVariação Anual
Leste5.2620,1%3,6%
Noroeste5.8980,1%3,3%
Sul6.5890,0%5,1%
Nordeste7.0390,0%3,5%
Sudeste7.6510,3%5,3%
Centro9.5560,0%1,4%
Centro-Sul10.9570,0%4,4%
Oeste11.6410,2%4,4%

Variação anual na cidade:

BairroValor do m² (R$/mês)Variação anual
ANHANGUERA5.410-9,1%
ITAIM PAULISTA4.505-3,6%
BOM RETIRO6.525-3,2%
CIDADE ADEMAR7.11311,5%
GUAIANASÉS4.43412,2%
PARELHEIROS8.60618,4%

Rentabilidade em São Paulo

O índice de rentabilidade imobiliária relaciona o preço de venda e valor de locação do imóvel para verificar o tempo necessário para recuperar o dinheiro utilizado na aquisição do imóvel. O relatório de abril apontou um índice anual de 5,53% bruto anual, o que significa que são necessários 18,1 anos de aluguel para reembolsar o investimento de compra, 2,2% a menos que um ano atrás.

As regiões periféricas são aquelas que oferecem o maior retorno para os investidores que buscam por aluguel: Sul e Leste – acima de 6% anual.

Os bairros Jardim Helena e São Miguel apresentam-se como as melhores opções para os investidores.

Rentabilidade por região:

RegiãoRentabilidade
Nordeste5,2%
Centro-Sul5,4%
Sudeste5,5%
Centro5,5%
Noroeste5,6%
Oeste5,6%
Sul6,3%
Leste6,4%