Brasil Brokers registra melhor EBITDA sem passivos jurídicos desde o 1T19

Brasil Brokers registra melhor EBITDA sem passivos jurídicos desde o 1T19

A Brasil Brokers, grupo que atua na intermediação e consultoria imobiliária, com compra, venda e locação de imóveis, além de concessão de créditos, reportou relevantes indicadores neste segundo trimestre de 2021 (2T21). O EBITDA ajustado sem passivo neste período totalizou R﹩ 2,4 milhões, melhor desempenho desde o primeiro trimestre de 2019. A margem bruta, que mede a rentabilidade do negócio, alcançou 61,9%, um aumento de 32,5% se comparado com o mesmo período de 2020.

A Receita Bruta das operações da Brasil Brokers representada pela soma das comissões dos diferentes segmentos de atuação, alcançou no segundo trimestre de 2021, R﹩ 47 milhões, o que representa alta de 107% em relação ao mesmo período de 2020 e um aumento de 23%, quando comparado com o 1T21. O lucro líquido da Companhia sem Passivos Judiciais entre os meses de abril a junho foi negativo em R﹩ 1,3 milhão.

“Os resultados traduzem a ótima performance, consequência de um trabalho contínuo de austeridade no controle de nossos custos e o empenho dos nossos times nessa jornada de transformação. Além disso, temos uma melhora no cenário econômico impactando positivamente no nosso negócio, como se pode constatar no aumento das vendas de imóveis e de créditos concedidos”, afirma Andrea de Rizzio, CFO da Brasil Brokers.

Outro ponto de destaque foi a Credimorar, empresa do grupo que vem se consolidando como uma distribuidora de produtos financeiros e não apenas crédito imobiliário. Atualmente a empresa já oferta créditos com imóvel em garantia (Home Equity) e, no 2T21, lançou a plataforma CredIntegrados, que traz mais velocidade ao processo de financiamento. Nos últimos três meses verificou-se um crescimento na concessão de créditos imobiliários com bancos como Santander e Itaú, além do Bradesco, principal parceiro da Brasil Brokers. No segundo trimestre de 2021, a Companhia ultrapassou a marca de R﹩ 1 bilhão de originação de empréstimos, o que contribuiu para que o primeiro semestre encerrasse com R﹩ 2,1 bilhões originados por meio das 3 maiores entidades financeiras privadas do país. No período foram registrados um total de 3.189 unidades financiadas, um significativo aumento de 16% se comparado ao número de unidades financiadas no primeiro trimestre do ano.

No Mercado Primário (venda de imóveis novos em lançamento) o crescimento foi de 11% do Valor Geral de Vendas (VGV) quando comparado ao primeiro trimestre de 2021. Se confrontado com o segundo trimestre de 2020 o incremento foi de 114%. Constatou-se também um aumento de 11% no ticket médio de valor pago por imóveis, passando de R﹩ 534 mil para R﹩ 591,9 mil no segundo trimestre de 2021. Quando comparado ao 2T20, quando esse valor era R﹩ 342,5 mil, o aumento chega a 73%.
A receita bruta no Mercado Secundário foi de R﹩ 8,3 milhões no segundo trimestre de 2021, 30% maior ao observado no primeiro trimestre do ano e aumento expressivo de 162% frente ao mesmo trimestre de 2020. Foram comercializadas 535 unidades no 2T21, contra 490 unidades vendidas no 1T21, apresentando um aumento no ticket médio de 9%. Quando se compara o resultado com o 2T20, verifica-se um crescimento de 90% nas unidades comercializadas (281) e de 22% no ticket médio.

Já o segmento de Locação encerrou o segundo trimestre de 2021 com 2.236 imóveis sob administração da Companhia contra 2.454 quando comparado com o primeiro trimestre do ano e 2.484 unidades do mesmo período de 2020. Isso se deve ao trespasse da LI LIBORIO à C&M NEGÓCIOS (‘Libório”). Pelo mesmo motivo a receita líquida recuou 3% em 30 de junho de 2020 totalizando R﹩ 2.197 mil ante R﹩ 2.273 mil do primeiro trimestre do ano.

“Seguimos com nossa visão de longo prazo em proporcionar às pessoas a realização de um de seus maiores sonhos, a de ter um lar, seja por compra ou locação”, afirma Daniel Guerbatin, presidente da Brasil Brokers. Para isso, diz o executivo, “nos mantemos focados no objetivo de atuar de forma diversificada, associada à eficiência administrativa e operacional e de inovação digital nos processos”.

Como evento subsequente, a Companhia apontou que a plataforma Desenrola iniciou sua estratégia de expansão para além das praças de São Paulo, Goiânia e Cuiabá, chegando também a Niterói, no Estado do Rio de Janeiro. Com um modelo de negócio pautado em escalabilidade e experiência do cliente, a Desenrola foca na melhoria de performance, com destaque no aumento de 55% na conversão de leads em visitas, aumento de 35% nas captações de imóveis e aumento de 87% no volume de tráfego no website.

Comments are closed