Category Archive material de construção

Indústria continua ganhando fôlego e ABRAMAT revisa projeção para o ano

A ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) divulga a nova edição de sua pesquisa Índice, elaborada pela FGV com dados do IBGE sobre o faturamento das indústrias de materiais de construção. A pesquisa indica que em setembro o faturamento das indústrias de materiais de construção manteve a recuperação. O resultado do mês é de alta de 1,1% sobre agosto. Os resultados positivos dos últimos meses fizeram a modelagem da FGV utilizada pela ABRAMAT apontar uma revisão da projeção em 2020 para -2,8%, significativamente melhor que os -7% projetados no auge da crise trazida pelo Covid-19.

A alta é registrada tanto no setor de acabamento, com avanço de 1,4%, quanto no de base, que apresenta crescimento de 0,9% sobre agosto. Já em comparação com setembro de 2019, a melhora apresentada foi de 3,8%. No acumulado do ano, entre janeiro e setembro, o resultado contudo ainda é negativo, de -5,6%.

Segundo Rodrigo Navarro, presidente da ABRAMAT, “A tendência para os próximos meses é que essa recuperação tenha sustentabilidade, assim como no médio e longo prazo. Para tanto, estamos trabalhando com uma série de fatores para assegurar atração de investimentos, geração de empregos e retomada da economia. Temos um sentimento de otimismo, porém moderado e cauteloso, pois há muitas externalidades em jogo. Objetivamos que essa recuperação do setor se consolide no pós-crise e nos anos a seguir” conclui o executivo.

Tags, ,

Vivo Empresas é a nova participante do programa de fidelidade Juntos Somos Mais

Reforçando o propósito de transformar o varejo da construção civil, a Juntos Somos Mais – joint venture da Votorantim Cimentos, Gerdau e Tigre – anuncia a parceria com a operadora Vivo Empresas, um dos maiores conglomerados de comunicação do mundo, em seu rol de participantes. A empresa de telecomunicações entra para ajudar na democratização do acesso ao universo digital para as 80 mil lojas e mais de 500 mil profissionais do setor da construção civil participantes do programa.

Os efeitos da pandemia no varejo da construção civil apenas alavancaram a necessidade de transformação e adaptação do setor ao ambiente digital. Segundo pesquisa recente promovida pela Juntos Somos Mais, a compra remota nos meses de auge da pandemia, representaram de 30% a 40% do faturamento total das lojas. Já as vendas por telefone e via WhatsApp passaram de 5% e 4%, respectivamente, para 20% e 17% durante os meses de maio e junho de 2020. Com isso, a parceria com a Vivo chega para fortalecer um importante pilar para as lojas de material de construção: a boa conexão.

A Vivo Empresas, do Grupo Telefônica, entra no programa para fortalecer o varejo por meio dos serviços de conectividade como banda larga, telefonia fixa, móvel, e locação de equipamentos como notebooks, impressoras e desktops, incluindo manutenção, de seguro e suporte ilimitado para os clientes. “O período que estamos vivendo evidenciou que a digitalização deixou de ser uma tendência para se tornar uma necessidade real. Está cada vez mais claro que a tecnologia veio para aproximar as relações e conectar empresas e consumidores, e no varejo de construção civil não é diferente. É com foco em ajudar os negócios nessa jornada de transformação digital que desenvolvemos soluções tecnológicas e integramos esta parceria com o Juntos Somos Mais”, conta Gabriel Domingos, Diretor de Marketing e Produtos Core da Vivo.

A parceria com a Vivo Empresas chega para fortalecer um importante pilar para a digitalização das lojas de material de construção: a boa conexão e a infraestrutura tecnológica necessária para acessar a rede. “Na Vivo Empresas temos focado na inovação disruptiva dos modelos tradicionais de venda de produtos e serviços através de parcerias inusitadas que ampliam e diversificam nosso amplo leque de canais de vendas. Quando conhecemos a plataforma da Juntos Somos Mais, sua robustez, abrangência e seu potencial, não tivemos dúvidas em propor e consolidar a parceria que, sem dúvida, será de muito sucesso”, Felipe Campos, diretor de canais alternativos B2B da Vivo

“Queremos reforçar que estamos juntos para alcançar os principais objetivos de negócio e apoiar cada vez mais o desenvolvimento do varejo da construção civil. A parceria com a Vivo Empresas reforça esse propósito em um momento crucial para o setor varejista, principalmente o da construção civil, que precisou se adaptar rapidamente às novas necessidades dos consumidores”, explica Antonio Serrano, CEO da Juntos Somos Mais.

Tags, , ,

A retomada da economia e o abastecimento de aço ao mercado doméstico

O Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (Sepec/ME), Carlos Da Costa, visitou hoje (01/10) a usina da Gerdau, em Araçariguama, São Paulo. Após a visita, conversou com a imprensa ao lado do presidente do Conselho Diretor do Instituto Aço Brasil, Marcos Faraco (Gerdau), e do presidente executivo do Aço Brasil, Marco Polo de Mello Lopes. A visita teve por objetivo conhecer o processo produtivo de uma mini-mill, moderna e cujos produtos são destinados à construção civil e avaliar com o Aço Brasil a capacidade da indústria nacional do aço de abastecer o mercado doméstico diante da rápida retomada da economia, especialmente nesse segmento.

No ápice da pandemia de COVID-19 no Brasil, houve forte queda de consumo e a indústria brasileira do aço teve que desligar altos fornos e paralisar outras unidades de produção, chegando a operar com apenas 45% de sua capacidade instalada. Os prognósticos de queda do PIB eram então sombrios não só no Brasil como na grande maioria dos países. Felizmente, a retomada da atividade econômica vem sendo mais rápida do que o previsto. Logo que os sinais de aumento da demanda de aço surgiram, o setor do aço começou a reativar sua produção, para atender com brevidade o retorno dos pedidos dos clientes. Hoje, a utilização da capacidade instalada é a mesma de janeiro deste ano (63%).

Especificamente no segmento da construção civil, um dos maiores setores consumidores de aço, o grande consumo é de vergalhões. A maior parte da produção de vergalhões é originária das mini-mills, plantas que não possuem altos fornos e utilizam, principalmente, a sucata reciclada de aço como matéria prima nas aciarias elétricas. Uma menor parcela da produção de vergalhões é obtida a partir de rota integrada principalmente a carvão vegetal, que produz ferro gusa em fornos de menor porte e, em seguida aço, nas aciarias.

Estas duas rotas de produção são versáteis e de mais fácil operação, respondendo ainda mais rapidamente ao eventual aumento da demanda, como a que acontece no momento atual. Presentemente, as plantas dos grupos siderúrgicos que produzem os vergalhões utilizados na construção civil – ArcelorMittal, Gerdau, Aço Verde Brasil, Sinobrás, SIMEC e CSN – estão em pleno funcionamento, com produções acima dos patamares pré-crise, sendo, pois, infundadas as informações sobre escassez de vergalhões.

A indústria brasileira do aço tem plena capacidade de atender a demanda do mercado doméstico, como já o tem feito, e assegura ser esta a sua maior prioridade.

O Instituto Aço Brasil apresentou, na oportunidade, a revisão da previsão de fechamento dos dados para 2020 , com a redução das expressivas quedas previstas anteriormente para a produção de aço bruto, vendas internas, exportações, importações e consumo aparente.

Tags, ,

C&C completa 20 anos como uma das maiores redes de home center multiplataforma do país

A maior rede de home center 100% brasileira e pioneira nacional no e-commerce de varejo de construção, reforma e decoração, a C&C Casa&Construção completa, em 15 de outubro, duas décadas de atuação no mercado, orgulhando-se por saber capturar o contexto de cada período, traduzir as tendências de mercado e acompanhar as transformações dos consumidores. Mantendo-se conectada às demandas de consumo desde a abertura da sua primeira loja física, na cidade de São Paulo, em 2000, a marca se posiciona como a maior revendedora de pisos, revestimentos e porcelanatos e uma das maiores em materiais de acabamento e construção em geral do país.

A C&C é resultado da fusão das empresas Conibra e Madeirense e da integração das companhias Uemura Home Center e Castorama. Pertencente ao conglomerado financeiro Alfa, a C&C ampliou sua participação no mercado ao longo dos anos e, hoje, detém um diversificado mix de produtos para construção, casa, decoração e jardinagem com soluções completas para todas as etapas de uma obra.

A rede tem em seu portfólio algumas das maiores e melhores marcas nacionais e internacionais do segmento, além de suas marcas próprias – Casa Nova e Metropac-, cujos produtos podem ser encontrados em suas 37 lojas físicas localizadas estrategicamente nos estados de São Paulo, nas regiões da capital, Grande São Paulo, Baixada Santista e interior; Rio de Janeiro, na capital e Baixada Fluminense; e Espírito Santo, na Grande Vitória. Os pontos de venda físicos seguem layouts em observância ao comportamento e às necessidades dos frequentadores. A marca possui, ainda, dois centros de distribuição situados em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Durante a sua trajetória, a C&C tem fortalecido o relacionamento com seus clientes e apresentado novas modalidades de venda e serviços, a fim de oferecer uma melhor experiência aos seus consumidores. Nesse sentido, a rede foi o primeiro home center a comercializar seus produtos no e-commerce, canal onde está presente desde 2001. Televendas, WhatsApp e celular são outros formatos de compra disponibilizados pela marca.

Ação especial

Nesta data tão emblemática, a C&C escolheu presentear seus clientes durante dois meses de festa, ajudando-os a realizarem seus sonhos, sejam eles quais forem. Entre os dias 01 de outubro e 30 de novembro, além de preparar ofertas especiais, o Aniversário C&C Promoção #Festou sorteará 10 prêmios instantâneos diários nos valores de R﹩ 200, R﹩ 400 e R﹩ 500 e dois prêmios maiores, no valor de R﹩ 40 mil, ao fim de cada um dos meses.

A C&C entende que este é um momento em que as pessoas estão retomando planos que ficaram suspensos devido a todos os desafios que foram enfrentados neste ano, em razão da pandemia. Por isso, a marca quer colaborar para que seus clientes reativem os seus planejamentos e estejam mais próximos de seus sonhos.

“Algumas pessoas querem reformar a casa, outras pretendem fazer um novo curso, programar uma viagem, empreender ou até mesmo quitar uma dívida. Acreditamos que a melhor forma de celebrar as nossas duas décadas de atuação é mostrar que estamos ao lado delas nesse processo”, afirma Marcelo Roffe, diretor geral da marca.

Para concorrer, basta que o cliente efetue compras acima de R﹩ 50,00 em qualquer uma das lojas físicas da C&C, no site ou no televendas e cadastre o cupom fiscal correspondente no site cec.com.br/promocaofestou. Após o cadastro, o consumidor ganhará um número (ou números) da sorte para concorrer na hora aos prêmios instantâneos e também ao prêmio maior, de R﹩ 40 mil. Depois, é só guardar o cupom e torcer. Cada cliente poderá concorrer com, no máximo, 100 números da sorte, equivalentes a R﹩ 5 mil em cupons por etapa da promoção.

Para mais informações, acesse: http://www.cec.com.br/

Tags, , ,

Sinduscon-MG: vendas de apartamentos crescem, mas custo de construção aumenta

Em julho foram vendidos, nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima, 370 apartamentos novos, o que representou uma alta de 16,7% em relação a igual mês do ano anterior (317). As vendas continuaram se destacando e superando o volume de lançamentos, o que têm levado o estoque disponível para comercialização aos menores patamares históricos. É o que aponta o Censo do Mercado Imobiliário, realizado pela Brain Consultoria para o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG).

Foram lançados dois empreendimentos nas referidas cidades, totalizando 63 unidades, o que representou um recuo de 14,86% em relação a julho do ano passado. Para o vice-presidente da Área Imobiliária, Renato Michel, os lançamentos represados em função da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus deverão acontecer nos próximos meses: “Após a queda histórica de 9,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do País no segundo trimestre, em relação aos três primeiros meses do ano, indicadores relativos ao segundo semestre demonstram resultados mais satisfatórios, evidenciando que o pior ficou para trás. A produção da indústria, o desempenho do comércio varejista e até mesmo o setor de serviços vêm apresentando resultados positivos. Esses fatores, aliados ao baixo patamar da taxa de juros e ao incremento do financiamento imobiliário com recursos da caderneta de poupança fortalecem as expectativas mais promissoras para o desempenho do mercado de imóveis novos”.

Entretanto, Renato Michel destaca: “Um desafio que está preocupando os construtores e pode estar contribuindo para o adiamento de novos investimentos é o aumento acentuado nos custos dos materiais de construção. Produtos básicos como o aço e o cimento têm apresentado altas elevadas, prejudicando o andamento das obras e das atividades do segmento. Os indicadores de custo da construção já demonstram isso”.

Em agosto, o Custo Unitário Básico de Construção (CUB/m²), calculado e divulgado pelo Sinduscon-MG, aumentou 1,69%, a maior elevação desde dezembro de 2018. Este resultado é justificado pela alta de 4,13% no custo com materiais de construção, a maior desde novembro de 2002 (4,93%), ou seja, dos últimos 18 anos. Aço, concreto e cimento, que juntos representam 30% do custo com materiais de construção, apresentaram os seguintes aumentos em agosto: 12,24%, 4,75% e 21,23%, respectivamente. Para o vice-presidente do Sinduscon-MG, esse processo de expressiva alta dos insumos pode interromper o fortalecimento das atividades do setor, num momento tão delicado como o que o País vivencia.

Em função do baixo patamar de unidades novas disponíveis para comercialização, que está inferior a 3.000 mil unidades, o preço dos imóveis novos já tem sofrido pressão. Em relação a julho do ano passado a alta observada no preço de apartamentos novos foi de 5,27%, enquanto o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)/IBGE, indicador oficial da inflação do País, foi de 2,31%. “Com o aumento acentuado no preço dos insumos, essa situação pode se agravar e prejudicar a recuperação da oferta das cidades, levando a uma falta de imóveis novos. E o resultado dessa situação poderá ser a menor geração de emprego e renda no setor”, destaca Michel.

Em julho foram vendidos, nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima, 370 apartamentos novos, ou seja, elas mantiveram-se em patamar elevado, registrando o terceiro melhor resultado do ano, atrás somente de junho (382 unidades) e janeiro (402 unidades). Desagregando as vendas por região observa-se que que a Centro Sul foi destaque, com 106 unidades, seguida pela Pampulha (77 unidades) e pela Região Oeste (59 unidades).

As vendas de apartamentos novos em Belo Horizonte e Nova Lima, nos primeiros sete mese deste ano, em relação a igual período de 2019, registraram incremento de 11,56% . O aumento observado nos lançamentos foi ainda mais expressivo: 23,46%. As vendas, neste período, também foram superiores aos lançamentos, contribuindo, portanto, para a continuidade da queda da oferta de imóveis novos nas referidas cidades. Há quatro meses consecutivos a oferta está registrando retração. Também há quatro meses seguidos as vendas são superiores aos lançamentos. Apenas 17,9% dos imóveis residenciais que entraram no mercado estão disponíveis para venda.

A Sondagem da Indústria da Construção realizada pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), com o apoio do Sinduscon-MG demonstrou que os empresários da construção estão com expectativas mais positivas para os próximos seis meses para o lançamento de novos empreendimentos, para a compra de insumos, para a geração de novas vagas de emprego e para o aumento do seu nível de atividades, o que certamente poderá contribuir para o País voltar a encontrar o caminho do crescimento econômico.

“Os aumentos de custos em função de elevação de preços de insumos, e em alguns casos até com desabastecimento de produtos, pode interromper esse processo, gerando mais desemprego e recuo ainda maior do que já é aguardado para a economia nacional”, comenta Renato Michel. Assim, o otimismo para os próximos meses esbarra neste momento na preocupação com a expressiva elevação dos custos do setor. É necessário aguardar os desdobramentos dessa situação para ver o comportamento do mercado imobiliário.

Tags,

Faturamento das indústrias de materiais de construção cresce 2,9% em agosto

A ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) divulga a nova edição de sua pesquisa Índice, elaborada pela FGV com dados do IBGE sobre o faturamento das indústrias de materiais de construção. A pesquisa aponta que em agosto o faturamento deflacionado da indústria de materiais de construção registrou alta de 2,9% em relação a julho. O número já está ajustado sazonalmente e evidencia alta em ambos os setores, de base e acabamento. Se comparado a agosto de 2019, o aumento é ainda maior, de 9%.

No entanto, a expectativa para o fechamento do ano ainda é de queda. Até o momento a expectativa é uma retração de 7% sobre 2019, mas este percentual deve sofrer alteração no início do último trimestre. O faturamento acumulado até agosto é de -6,2%, se comparado a 2019.

Segundo Rodrigo Navarro, presidente da ABRAMAT, “o setor tem trabalhado muito para minimizar os efeitos da pandemia trazida pelo Covid-19, e o nosso sentimento com os dados que indicam uma recuperação consistente é de um otimismo moderado. Temos de ser ao mesmo tempo cautelosos, pois sabemos que há muitas externalidades envolvidas”.

Tags, , ,

Amanco Wavin e SENAI lançam curso gratuito sobre a metodologia BIM e estimam capacitar 1000 alunos em todo o País

Com o objetivo de cooperar para o desenvolvimento dos profissionais da construção civil e de colaborar para a transformação digital do setor, a Amanco Wavin, marca comercial da Wavin, uma das maiores empresas mundiais em tubos e conexões, e o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) lançam, a partir de 14 de setembro, um curso gratuito sobre o uso da metodologia BIM em projetos hidráulicos. A expectativa é de que 1000 alunos sejam capacitados em todo o país, até o fim do ano.

Chamado de “Projeto de hidráulica com as bibliotecas BIM Amanco Wavin”, o curso foi desenvolvido pela Wavin em parceria com o time técnico do SENAI. Todas as aulas serão realizadas no formato on-line e são direcionadas para projetistas, arquitetos, engenheiros e estudantes que estejam em busca de uma solução em BIM para projetos de redes hidrossanitárias. Ao todo, o curso tem duração de 15 horas e estará disponível na plataforma Mundo Senai (http://loja.mundosenai.com.br/senainacional/projeto-de-hidraulica-com-as-bibliotecas-bim-amanco-wavin.html).

As inscrições para participar do curso devem ser feitas neste mesmo link.

“Nós da Amanco Wavin acreditamos que o investimento em capacitação profissional é a melhor forma de apoiar a sociedade. Profissionais mais preparados garantem excelência no serviço prestado, que resulta em consumidores satisfeitos e valorização do mercado”, diz Fábia Guerra, gerente de Marketing da Wavin no Brasil.

O gerente-executivo de Educação Profissional do SENAI, Felipe Morgado, avalia que o curso será uma excelente oportunidade, especialmente por causa do decreto federal que estabelece a utilização da ferramenta em obras de engenharia realizadas pela administração pública federal, a partir de janeiro de 2021. “O profissional que dominar essa metodologia certamente estará na frente no setor da construção civil”, explica Morgado, destacando que “essa ferramenta permite estimar preços e prazos, além de reduzir erros por meio de detecção de interferência de elementos construtivos, garantindo economia, ganho de produtividade e transparência nos gastos”.

Sobre o BIM

A metodologia BIM é o futuro dos projetos de engenharia porque simula a obra real em 3D agregando inteligência e, com isso, colaborando para a precisão do projeto.

Para aplicar os produtos da marca em um projeto hidráulico, basta acessar gratuitamente o link http://bim.amanco.com.br/pt/Paginas/default.aspx e baixar as bibliotecas da Amanco Wavin. A ferramenta possui o diferencial de ser a única do mercado que reconhece, de forma automática, o ambiente que está sendo projetado e recomenda quais tubos e conexões devem ser utilizados.

“Nossas bibliotecas permitem a inserção de tubos e conexões nos softwares de planejamento, com medidas e atributos reais. Além disso, foram criadas com todas as funcionalidades requeridas para trabalhar adequadamente sob a metodologia BIM, oferecendo um ambiente amigável para projetistas de redes hidrossanitárias”, finaliza Fábia.

Construção em drywall privilegia bem-estar dos usuários

Projetos construtivos que colaboram com o bem-estar dos usuários estão em franca ascensão. A qualidade do tempo passada no local de trabalho, por exemplo, é um elemento cada vez mais valorizado. Sob esse pano de fundo, o drywall se destaca por possibilitar a construção de ambientes espaçosos, que facilitam a interação entre as pessoas e são mais confortáveis sob os aspectos acústico e térmico.

“O drywall é um sistema bastante preciso, milimétrico, que evita a ocorrência de construções mal aprumadas. Ao utilizá-lo, você também consegue paredes mais finas, de 7 cm, contra 12-15 cm da alvenaria, e isso permite aproveitar melhor os espaços. Em paralelo, por ser mais leve, reduz a estrutura da edificação”, afirma Ana Elisa Garcia, arquiteta urbanista, consultora em saudabilidade e sustentabilidade e parceira da Trevo Drywall.

Quando o assunto é isolamento termoacústico, fica ainda mais difícil encontrar oponentes à altura do drywall. As tipologias convencionais de paredes já garantem um nível de isolação, no mínimo, igual ao da alvenaria. Contudo, o drywall é muito mais versátil e possibilita a combinação de um maior número de chapas ou a inclusão de materiais isolantes, o que aumenta sensivelmente a proteção acústica e térmica.

“O gesso é um material higroscópico, ou seja, tem a capacidade de absorver a umidade do ar. Essa característica ajuda na regulação da temperatura do ambiente, tornando-o mais quente no inverno e frio no verão. O drywall também aceita a inclusão de materiais de isolamento, como lãs minerais ou sintéticas. Dessa forma, você pode calcular exatamente o nível de isolamento que deseja para cada ambiente. Isso é muito comum em prédios corporativos, onde salas de reuniões costumam ter índices superiores de isolação, no caso, acústico”, resume Ana Elisa.

Estes são os efeitos práticos: mais espaço e maior conforto termoacústico. No entanto, salienta a especialista, há pontos conceituais que também devem ser levados em consideração, como a sustentabilidade e saudabilidade na construção em drywall.

“Em ambas categorias o sistema é bem avaliado. Em relação à sustentabilidade, contam pontos o menor desperdício durante a obra, pois a geração de entulhos na construção com drywall é muito mais baixa se comparada com qualquer outro tipo de material. Já sobre a saudabilidade, os componentes do sistema não apresentam elementos contaminantes à saúde humana”, conclui.

Tags,

Novas tecnologias movimentam a construção civil brasileira

Reconhecida como a única feira da América Latina dedicada às cadeias construtivas do cimento e do concreto, e um dos principais encontros globais voltados à construção civil, a Concrete Show 2019 chega para a 12ª edição recheada de novidades. O evento – que será realizado no São Paulo Expo, em São Paulo (SP), de 14 a 16 de agosto – prepara para os players do setor a apresentação, com exclusividade, dos mais modernos equipamentos e soluções para o segmento, desenvolvidos por mais de 350 marcas expositoras, nacionais e internacionais.

Entre elas está a ArcelorMittal, uma das maiores produtoras de aço do País e do mundo, um dos principais insumos para a indústria do concreto. Além da exibição do portfólio completo de soluções para a construção civil, a companhia apresenta na feira também o seu sistema de inteligência, o Steligence.

Segundo o especialista em marketing da marca, Luís Gustavo Pracchia, trata-se de uma nova metodologia que avalia as edificações e o setor como um todo. “Com ela, é possível comparar as principais opções disponíveis no mercado com as soluções em aço da ArcelorMittal, levando em consideração todas as etapas da construção, desde a fundação até a fachada”, pontua.

Quem também confirma presença em mais uma Concrete Show é a WCH Industrial, uma das principais fornecedoras de soluções para a produção de pré-fabricados de concreto do Brasil. Entre os produtos em evidência da empresa estão as fôrmas metálicas para a produção de vigas, pilares retangulares e placas de fechamento, como a fôrma dupla da marca, principal novidade para o evento.

Segundo a analista de marketing da companhia, Eliane Cerri, a fôrma dupla da WCH possui três fatores como principais vantagens competitivas em relação às concorrentes diretas do mercado: tecnologia, economia e flexibilidade. “O novo equipamento permite aos players do setor obter 50% de economia durante a produção das vigas de concreto e placas de fechamento, pois não é necessária a utilização de uma segunda fôrma para que se possa criar um elemento diferente. Nesta configuração, podemos fabricar painéis e pilares de forma simultânea, por exemplo”, afirma.

A executiva ressalta ainda que outro diferencial da solução é possibilitar maior facilidade de variação de tamanhos dos produtos. “O equipamento permite também a fabricação dos pilares, vigas e placas de fechamento na mesma estrutura, com as seguintes regulagens: de 8 a 50 centímetros de largura, e de 40 a 120 centímetros de altura, em ambos os casos com variações a cada 5 centímetros”, completa.

12ª Concrete Show

Data: De 14 a 16 de agosto de 2019.

Horário: Dia 14 – Das 13 às 20 horas / Dias 15 e 16 – Das 10 às 20 horas.

Local: São Paulo Expo.

Endereço: Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5, Vila Água Funda – São Paulo-SP.

Tags,

Casa do Construtor chega à ABF EXPO 2019 com crescimento superior a 22% no ano

Especializada em locação de equipamentos e reconhecida no setor de franquias como uma das redes mais promissoras e rentáveis do mercado, a Casa do Construtor irá celebrar na ABF EXPO 2019 os excelentes resultados obtidos nos cinco primeiros meses de 2019. Entre janeiro e maio, a empresa registrou alta no faturamento superior a 22% em comparação com o mesmo período de 2018.

Segundo projeção da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), os negócios no setor devem crescer 8,5% este ano. Além de uma expansão de quase o triplo deste percentual, nos primeiros cinco meses do ano a Casa do Construtor inaugurou seis novas unidades. “Estamos investindo em formatos de negócios inovadores e trabalhando novas estratégias de marketing. Isso impacta positivamente o nosso desempenho no mercado”, diz Altino Cristofoletti, sócio fundador da Casa do Construtor.

No estande da Casa do Construtor na ABF EXPO, os potenciais investidores poderão conhecer os modelos de negócios da franquia. A maior feira de franquias da América Latina ocorrerá de 26 a 29 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo.

A Casa do Construtor oferece serviços que facilitam o dia a dia de qualquer pessoa através da locação de equipamentos para construção civil, limpeza e jardinagem, o que garante aos franqueados um público consumidor amplo. O objetivo da rede é auxiliar a rotina das pessoas e intensificar a ideia do compartilhamento dos equipamentos, conceito já bem difundido nos Estados Unidos. Dentre eles estão: betoneiras, andaimes, marteletes, equipamentos para limpeza de estofados, lavadoras de alta pressão, roçadeiras e furadeiras.

A marca também investe em aparelhos de alta tecnologia, como a câmera térmica que permite o cliente identificar locais onde há vazamentos através da mudança de temperatura .A ferramenta impede a realização de obras desnecessárias e que causam prejuízos ao contratante.

Espaço destinado à busca de inovação e de novas tecnologias

Em maio, a rede inaugurou o CasaLab, espaço que está localizado no Campus de Inovação ONOVOLAB. Situado em São Carlos (SP), o espaço reúne diversas empresas e startups que buscam novas soluções para o mercado. “No CasaLab, vamos desenvolver novas tecnologias para os nossos clientes”, diz Cristina Monte, gerente de finanças e tecnologia da rede.

A princípio, a ideia é criar inovações que ajudem tantos os clientes, quanto as equipes das lojas da rede. Para isso, a franquia contará com um time de seis colaboradores, tanto da Casa do Construtor como no ONOVOLAB. “Teremos profissionais focados na área de desenvolvimento e inteligência”, explica a gerente.

Tags, ,