Concurso do MDR vai selecionar e premiar projetos sustentáveis para habitações de interesse social

Concurso do MDR vai selecionar e premiar projetos sustentáveis para habitações de interesse social

Reunir projetos arquitetônicos de habitações de interesse social que sejam inovadores, sustentáveis e possibilitem redução do consumo de energia. Esse é o objetivo do Concurso Nacional de Ideias em Arquitetura para Eficiência Energética em Habitação de Interesse Social, lançado nesta segunda-feira (15) pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) em parceria com a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ). As inscrições começam nesta terça-feira (16) e vão até 26 de abril. Clique neste link para participar.

A iniciativa conta com o apoio da Associação Brasileira de COHABs e Agentes Públicos da Habitação (ABC) e do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB). O concurso tem como público-alvo escritórios de projetos de arquitetura e arquitetos empregados em construtoras, empreiteiras e companhias de habitação, devidamente inscritos no Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) do Brasil.

Os planos devem incorporar os pré-requisitos de habitações que compõem o Programa Casa Verde e Amarela, que estão citados no edital do prêmio. Além disso, as moradias devem ser adaptáveis e replicáveis em diferentes regiões e contextos, adaptando-se a vários climas, mantendo a eficiência energética sem aumento dos custos.

Premiação

Serão escolhidas três propostas para o primeiro lugar. Cada uma delas receberá R$ 20 mil e assinará um contrato de R$ 113,3 mil com a GIZ para implantação dos projetos em terrenos cedido pela Associação Brasileira de COHAB (ABC). Outros três projetos também serão selecionados e receberão os R$ 20 mil.

“Esse prêmio tem como foco demonstrar para o mercado produtor que a arquitetura pode trazer mais eficiência e ainda assim ser viável”, destacou o secretário Nacional de Habitação do MDR, Alfredo dos Santos, durante evento on-line de lançamento do prêmio. “O que procuramos é melhorar a industrialização da nossa produção, sendo acompanhada pela produção de insumos limpos, inclusive para a manutenção desses imóveis ao longo do tempo”, completou.

Para o diretor de projetos da GIZ, Arnd Helmk, a preocupação com a qualidade das moradias se tornou ainda maior com a pandemia de covid-19. “Uma casa com qualidade ajuda a manter saudáveis seus habitantes e é fundamental para o bem-estar das pessoas, que passaram a ficar muito mais tempo em casa. Ao mesmo tempo, devemos enfrentar os problemas climáticos. Por isso, uma política habitacional voltada para a sustentabilidade é tão importante”, disse.

Já a presidente da Associação Brasileira de COHABs, Maria do Carmo Lopez, ressaltou que projetos modernos e sustentáveis devem levar em consideração o conforto da população, com ações como aumentar a iluminação natural e a ventilação dos imóveis, por exemplo. “Temos a oportunidade de olhar para o projeto de habitação de interesse social não só pelo custo de produção, mas para o custo durante toda a vida, para que essa moradia continue oferecendo conforto aos moradores. Todos saem ganhando neste tipo de proposta”, ressaltou Maria do Carmo.

Processo de inscrição

As inscrições do concurso serão realizadas em duas etapas. De 16 de março a 24 de abril, os interessados devem registrar a participação. Já o envio dos projetos arquitetônicos deve ser feito de 12 a 14 de maio. O resultado final, após análise de comissões consultiva e julgadora, está previsto para 24 de maio, com homologação após prazo de recurso em 2 de junho.

O edital e todas as informações sobre o concurso estão no portal https://habitacaodeinteressesustentavel.org/

Comments are closed