CredPago alcança liderança nacional em emissão de garantia de aluguel

CredPago alcança liderança nacional em emissão de garantia de aluguel

Em um cenário no qual a ausência de fiador se consolida como principal facilitador na locação de imóveis no Brasil, a startup amplia suas metas para 2021– entre elas, fechar 200 mil contratos no ano.

O mercado imobiliário foi um dos poucos setores com fôlego para enfrentar a crise causada pela pandemia. Segundo dados do Painel do Mercado Imobiliário (PMI), o número de imóveis usados, vendidos ou alugados, registrou um aumento de 52% em 2020, quando comparado ao desempenho de 2019. Outro levantamento, realizado pelo Google, registrou que o termo “casas para alugar” foi o mais pesquisado recentemente, com um aumento de 668%.

É neste cenário favorável para o setor que a CredPagos e consolida como a nº1 em emissão de garantia de aluguel no Brasil. Com mais de 750 mil pessoas já beneficiadas em apenas cinco anos de mercado, a fintech oferece serviços para locação descomplicada – sem necessidade de fiador, com análise de crédito instantânea, diversas opções de pagamento, assinatura digital com validação jurídica e cobertura de até 30 vezes o valor do aluguel em casos de inadimplência. Com a expectativa de lucro líquido de R$ 100 milhões para 2022 e uma receita bruta superior a R$ 300 milhões, a startup segue com metas agressivas até o final deste ano – fechar 200 mil novos contratos. A CredPago concentra, ainda, um contínuo avanço mensal no número de contratos – com média de 10 mil/mês.

De acordo com Jardel Cardoso, CEO da CredPago, o aquecimento do mercado imobiliário na pandemia não anulou o gap de um nicho anteriormente esquecido – o de locação imobiliária. “No período mais crítico do contexto pandêmico, quando os índices de inadimplência alcançaram patamares nunca antes vistos, os modelos de garantias pagas levaram segurança e tranquilidade ao mercado, garantindo que os proprietários recebessem seus aluguéis e até mesmo levando alternativas para que inquilinos pudessem parcelar, sem custos, os seus débitos”.

Portanto, a startup identificou uma oportunidade de se aproximar de potenciais parceiros, reforçar seu posicionamento institucional e ampliar seu plano de expansão nacional. “Acreditamos no desenvolvimento tecnológico para vencer as barreiras de um setor com inúmeras dores e reforçamos nossas soluções disruptivas pró-mercado, tornando nosso serviço um forte aliado para negociações fáceis e rápidas. Mesmo no início da pandemia, quando tudo era muito incerto, fechamos o primeiro semestre de 2020 com 10% acima das projeções feitas antes do período de crise. Em junho de 2020, em meio à crise decorrente da pandemia, a fintech apresentou um crescimento de 173% em relação ao mesmo período de 2019”, conta o executivo. Em um momento conturbado da economia, a companhia continuou crescendo acima das metas estipuladas.

O salto da startup pode ser explicado, ainda, por outro movimento acelerado ao longo de 2020, que estimulou o trabalho remoto e mudou completamente a relação das pessoas com suas casas. Conforto e flexibilidade se tornaram mais importante do que morar próximo ao local de trabalho, por exemplo. Além disso, o conceito de usar ao invés do possuir despertou, principalmente na geração mais jovem, um distanciamento em relação à compra de imóveis.

Segundo levantamento do Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais Políticas e Econômicas) realizado no ano passado, 82% dos entrevistados que têm entre 16 e 24 anos não possuem interesse em financiar uma casa ou apartamento. O mesmo estudo mostra que 63% dos entrevistados já admitem morar de aluguel com contrato flexível ao invés de comprar um imóvel. “Insights como esses evidenciam a importância das garantias pagas em contratos de locação. Encontrar empresas e soluções sólidas se tornou vital para que os contratos de locação estejam seguros e todos os envolvidos no processo (proprietários, inquilinos e imobiliárias) possam ter uma relação tranquila”, explica o executivo.

Em um mercado estimado de 13 milhões de moradias locadas e que movimenta R$ 150 bilhões ao ano, a parceria junto ao Banco BTG Pactual, em 2020, aliando frentes como o pioneirismo e a performance da CredPago à robustez do maior banco de investimentos da América Latina, também contribuiu significativamente para o crescimento exponencial da empresa. “Essa parceria está alinhada com a nossa estratégia de ampliar a oferta de produtos inovadores oferecidos ao setor imobiliário e fidelizar os canais de distribuição”, comenta o CEO dastartup.

Com um plano de crescimento bem estruturado, a fim de manter a liderança de mercado, a fintech visa o lançamento de novas soluções que somem no apoio aos negócios das imobiliárias, como um índice de valor de locação e um produto com objetivo de melhorar a captação de imóveis ao garantir apoio financeiro aos proprietários em casos de vacância. Além disso, a expansão geográfica não sai de cena quando se falam de objetivos de negócio. “Atualmente, operamos em mais de 500 municípios regularmente, em parceria com mais de 16 mil imobiliárias. São Paulo é o Estado que mais opera. As regiões Sul e Sudeste são as que têm maior participação nas operações. Porém, estamos focando nossa energia em ampliar a penetração em todas as regiões do país, já que estamos presentes com emissão de garantias em praticamente todos os Estados do Brasil”, finaliza o executivo.

Comments are closed