Em nova desaceleração, Índice FipeZap encerra março com avanço de 0,18%

Em nova desaceleração, Índice FipeZap encerra março com avanço de 0,18%

Com o resultado, preço médio de venda residencial acumula alta de 0,80%, no 1º trimestre, e de 3,99%, nos últimos 12 meses


■ Análise do último mês: o Índice FipeZap, que acompanha o comportamento do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades, apresentou alta nominal de 0,18% em março, desacelerando ante os resultados observados nos últimos 3 meses: dezembro (+0,46%), janeiro (+0,35%) e fevereiro (+0,26%). Comparativamente, a variação mensal do índice é inferior ao comportamento esperado do IPCA/IBGE para o mesmo período (+0,95%), segundo expectativa publicada no último Boletim Focus do Banco Central do Brasil*. Uma vez confirmada essa variação dos preços ao consumidor, calcula-se que o preço médio de venda de imóveis residenciais encerrará março com queda real de 0,76%. Individualmente, 13 das 16 capitais monitoradas apresentaram elevação nominal no preço médio de venda de imóveis residenciais no referido mês, destacando-se entre elas: Maceió (+1,38%), Vitória (+1,11%), Florianópolis (+0,82%), Curitiba (+0,82%) e Goiânia (+0,67%). Em contraste, os maiores recuos foram registrados em Manaus (-0,65%), Fortaleza (-0,44%) e Belo Horizonte (-0,38%). Considerando as duas cidades de maior representatividade na composição do Índice FipeZap, São Paulo apresentou alta nominal de 0,38% nos preços de venda de imóveis residenciais em março, superando a alta observada no Rio de Janeiro (+0,10%).

■ Balanço parcial de 2021: ao final do primeiro trimestre de 2021, o Índice FipeZap tem alta nominal de 0,80%, variação inferior à inflação acumulada de 2,07%, segundo comportamento observado e esperado do IPCA (IBGE)*. Se confirmado esse resultado, a comparação entre a variação acumulada do Índice FipeZap e da inflação ao consumidor representará um recuo de 1,25% no preço médio de venda dos imóveis residenciais, em termos reais.

■ Análise dos últimos 12 meses: nesse horizonte temporal, o Índice FipeZap acumula avanço nominal de 3,99%. Na comparação com a inflação acumulada nos últimos 12 meses (+6,12%), segundo o IPCA (IBGE)*, o Índice FipeZap apresenta queda de 2,01%, em termos reais. Entre as 16 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, as maiores altas foram registradas em Maceió (+11,58%), Curitiba (+10,59%), Manaus (+9,91%), Brasília (+9,39%), Vitória (+9,17%), entre
outras. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, as altas acumuladas nos últimos 12 meses são de 4,27% e 2,12%, respectivamente.

■ Preço médio de venda residencial: tendo como base a amostra de imóveis residenciais anunciados para venda em março de 2020, o preço médio calculado foi de R$ 7.561/m² entre as 50 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap. Dentre elas, Rio de Janeiro se manteve como a capital monitorada com o preço do m² mais elevado (R$ 9.503/m²), seguida por São Paulo (R$ 9.439/m²) e Brasília (R$ 8.167/m²). Já entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m², figuraram: Campo Grande (R$ 4.343/m²), Goiânia (R$ 4.573/m²) e João Pessoa (R$ 4.610/m²).

Nota: (*) informação publicada no Boletim Focus do Banco Central do Brasil em 05/04/21. A variação real efetiva será conhecida apenas após a divulgação do IPCA/IBGE.

Comments are closed