Fotos profissionais e anúncios na internet são tecnologias que devem ser mantidas por corretores pós-pandemia

Fotos profissionais e anúncios na internet são tecnologias que devem ser mantidas por corretores pós-pandemia

A pandemia do coronavírus fez com que a digitalização do mercado imobiliário fosse acelerada, ampliando o uso de tecnologias e ferramentas. Para entender quais as medidas que mais trouxeram benefícios, a 4ª rodada da “Pesquisa da Influência do Coronavírus no Mercado Imobiliário Brasileiro” realizada pela DataZAP+, área de inteligência de dados imobiliário do ZAP+, questionou os profissionais do setor sobre quais recursos devem continuar ser usados após o fim da pandemia.

O uso de fotos profissionais foi a medida mais mencionada pelos entrevistados, com 67% dos profissionais dizendo que irão manter ou aderir após o fim da necessidade de isolamento social. Em segundo lugar aparece a disponibilidade de mais opções de imóveis nos portais/site próprios, com 64% de respostas favoráveis ao uso.

Outras ferramentas bem vistas pelos profissionais imobiliários são a realização de videochamadas entre cliente e corretor, e a assinatura de contratos digitais, ambas tecnologias que continuarão a ser usadas segundo 53% dos respondentes. “A assinatura digital já era tendência no mercado, mas ainda tinha um uso restrito. É interessante ver como sua implementação foi acelerada durante a pandemia”, comenta Danilo Igliori, economista de DataZAP+.

Por outro lado, 40% dos profissionais do setor revelaram que não irão manter ou adotar a vistoria de imóveis online, e 41% disseram não utilizar ferramentas que mostram o imóvel mobiliado. Isso mostra que apesar do mercado imobiliário ter se adaptado à pandemia, a presença física das pessoas continua sendo relevante para a realização de algumas atividades. “Isso se reflete no dia a dia das imobiliárias, já que apenas 11% dos profissionais disseram que vão manter o home office de maneira integral, sem a necessidade de escritório físico no futuro”, analisa o economista.

Ainda assim, a pesquisa mostra que as medidas que foram adotadas para facilitar a adequação dos clientes à nova realidade, parecem ter contribuído para que 54% dos profissionais do mercado imobiliário reportassem a intenção em manter um modelo híbrido de home office, com parte dos colaboradores trabalhando em casa e outra no escritório.

Sobre a pesquisa

A 4ª onda da pesquisa da DataZAP+ foi realizada entre os dias 15 e 22 de março de 2021, e contou com respostas de 2.224 usuários dos portais ZAP+ residentes das regiões metropolitanas do Brasil. A margem de erro é de 2 p.p. considerando nível de confiança de 95%. O mesmo levantamento tinha sido realizado anteriormente em três momentos, permitindo a comparação dos resultados: entre 24 a 29 de março de 2020 (1ª onda), de 27 de abril a 05 de maio de 2020 (2ª onda), e de 29 de maio a 7 de junho de 2020 (3ª onda).

O levantamento é o maior do setor imobiliário e tem como objetivo detalhar o comportamento e expectativas dos diversos agentes do mercado por meio de entrevistas realizadas com cerca de três mil pessoas, incluindo consumidores e profissionais de imobiliárias, incorporadoras e também corretores.

Comments are closed