Juro de financiamento imobiliário pode cair até 6,5% ao ano com repasse de corte da Selic, aponta Credihome

Juro de financiamento imobiliário pode cair até 6,5% ao ano com repasse de corte da Selic, aponta Credihome

Após a forte sequência de quedas nas taxas de juros de financiamentos imobiliários no ciclo iniciado desde o ano passado, o novo corte da taxa básica de juros Selic em 0,75 ponto percentual (pp) pode levar a um repasse adicional de mais 0,5 pp aos novos contratos, segundo a Credihome, plataforma online de soluções de crédito para compradores e proprietários de imóveis.

“Entendemos que os principais players de crédito devem afunilar as taxas ao redor de 7% com um viés de baixa podendo chegar até 6,5% em algumas situações de clientes com avaliação alta de crédito. Assim, saímos de uma faixa de 7% a 7,99% para outra entre 6,50% a 7%, gerando um representativo impacto na redução do custo do crédito para aquisição de imóveis”, afirma Bruno Gama, CEO da Credihome .

A preocupação com renda e inadimplência, no entanto, segue no radar. No último corte da Selic para 3% ao ano, as incertezas sobre o cenário no pós-pandemia impediram um repasse da queda para os financiamentos imobiliários. Apesar da situação ainda não estar controlada, os impactos percebidos pelo setor até agora foram menores que o esperado, restaurando os níveis de confiança e abrindo espaço para novos repasses da queda de juros para o consumidor a partir desse corte.

“Em junho, já com o entendimento mais claro dos impactos da crise, enxergamos uma retomada mais forte do mercado imobiliário a partir de reabertura da economia, que se inicia agora, indicando uma retomada da demanda. O impacto da inadimplência nas carteiras de crédito existiu, e ainda está sendo analisado, mas por enquanto, não pareceu muito significativa”, aponta Gama.

De acordo com a Credihome, era estimada queda dos financiamentos imobiliários nos primeiros meses de pandemia, mas o mercado vem se mostrando mais resiliente que o esperado, com o apetite para aquisição – sobretudo de imóveis prontos e de usados – ainda aquecido com esses níveis de juros. Segundo dados da Abecip, o crescimento em abril foi de 27,9% ante igual período de 2019.

“As quedas constantes nas taxas de juros do crédito imobiliário tiveram um papel fundamental para esse desempenho que tem proporcionado um custo de aquisição de imóveis bastante inferior ao que ocorria no Brasil há alguns anos e inserido milhões de famílias nesse mercado. A busca por melhores condições continua sendo vital, modelo no qual a Credihome acredita e se debruça para oferecer uma experiência fácil e digital na busca do financiamento mais adequado para cada cliente”, ressalta o CEO da Credihome .

Comments are closed