Plataforma inédita mostra em tempo real impacto da pandemia no mercado de imóveis usados

Plataforma inédita mostra em tempo real impacto da pandemia no mercado de imóveis usados

A proptech inGaia, líder em tecnologia para o mercado imobiliário, lança o Painel do Mercado Imobiliário (PMI), no qual é possível acompanhar em tempo real os impactos da pandemia do novo coronavírus no mercado imobiliário nacional de usados. 

Na plataforma, as quatro etapas que compõem o funil de vendas de imóveis: o acesso aos sites de imobiliárias, visitas concluídas, propostas e o fechamento de transações são apresentadas em comparativos semanais, mensais, anuais e, também, de acordo com a evolução da pandemia no Brasil. Os panoramas regionais de 13 estados também são apresentados. 

Com o maior banco de dados do mercado secundário de imóveis, a inGaia, empresa de tecnologia especializada no setor imobiliário, acompanhou a realização de transações de sua base de dados que atualmente possui 6,1 mil imobiliárias e 38 mil corretores de todo o Brasil. 

De janeiro a dezembro de 2019, a proptech registrou o valor geral de R﹩ 13,5 bilhões nas transações de compra e venda e R﹩ 1,2 bilhão no valor geral das transações de locação. 

Panorama 
De acordo com o levantamento, o número de visitas a sites de imobiliárias teve recuperação de 8% em maio, com 504 mil visitas a mais do que abril, quando as consultas pela internet sofreram declínio de 3% em comparação com o mês anterior. 

O número de propostas realizadas em maio apresentou aumento de 39% em comparação com abril quando as propostas tiveram queda de 38%. “O índice de propostas vem se recuperando e em abril esteve superior à média semanal de visitas concluídas, o que demonstra que os clientes estão utilizando as soluções tecnológicas para conhecer e evoluir para um possível fechamento de negócios”, afirma José Eduardo Andrade Junior, CEO da inGaia. 

Por causa da pandemia, o número de visitas presenciais a imóveis caiu 41% em abril, mas aumentaram em 56% em maio, com o total de 16,3 mil visitas concluídas, número semelhantes ao de março, início da pandemia.

As variações registradas do PMI nos últimos meses refletem a cultura do consumo por imóveis ainda bastante atrelada às visitas presenciais para fechamento de locação e venda. Junto com a recuperação no total de visitas concluídas em maio, os negócios concretizados aumentaram em 39%. 

Nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Goiás, Rio Grande do Sul, Rondônia, Espírito Santo, Mato Grosso e Distrito Federal foram registradas em maio recuperação de mais de 50% no total de visitas presenciais em relação a abril. No Ceará e Pernambuco, estados em que houve lockdown, os índices continuaram em queda no mês. 

De acordo com o presidente da inGaia, Mickael Malka, diante do momento de variação e incerteza, é imprescindível que os profissionais do setor adequem serviços e utilizem plataformas tecnológicas que desburocratizem e agilizem processos, como a visita on-line por meio dos sites das imobiliárias, videoconferências e tour virtual, além de oferecer alternativas ao público consumidor, como visitas físicas mais seguras (cumprindo as medidas preventivas recomendadas). “Além do uso das ferramentas on-line, imobiliárias e corretores têm oferecido para os seus futuros compradores máscaras, álcool gel e proteção para os sapatos em visitas presenciais. Entendemos que o serviço diferenciado irá definir os profissionais vencedores nessa crise”, complementa. 

“O que estamos assistindo hoje é uma mudança de hábitos. Atualmente, as imobiliárias da nossa carteira têm acesso a todas as ferramentas para fechar transações digitalmente. Contudo, devido ao cenário, essas ações são fundamentais, mas ainda não são tudo. As imobiliárias que estão se adaptando apresentam queda bem menor e, portanto, para elas há clientes compradores”, ressalta Malka. 

Insights 
Impulsionando a digitalização do setor imobiliário há mais de uma década, no PMI inGaia também há análises em vídeo, notícias e dicas de estratégias e práticas on-line que podem ser aplicadas pelos profissionais durante a pandemia e no momento de retomada do mercado. 

“O projeto tem envolvimento do time de Inteligência de Mercado, de Produtos, Marketing e Design da inGaia e foi construído de maneira rápida, em cerca de um mês, porque entendemos que as informações são bem valiosas para o mercado”, conta o gerente de Produtos da inGaia, Felipe Souza. 

Comments are closed